O sol que bate nas paredes das casas do subúrbio

Hoje indo pra papelaria, me deparei com uma bucólica cena do sol de fim de tarde alaranjando as paredes das casas do caminho.

Talvez, tal cena cobreada não me chamasse tanta atenção se não fosse a semana do meu aniversário, não sei se dá pra comprovar isso cientificamente, mas quando seu aniversario está próximo, você para para refletir coisas que você nem se quer pensou em pensar o ano todo.

Aquelas casas com muros altos e portões largos, guardadas por cachorros dorminhocos, dormindo num concreto que há muito tempo foi o chão de um pequeno jardim, jardim esse que teve que ser eliminado pois seus donos não tinham tempo para perder tempo, as ruas secundárias vazias, quase como se todas as casas por ali fossem vazias. De cem em cem metros, grupos de idosos discutindo suas aposentadorias.

Esse é o meu futuro? Agora me pergunto. Ter uma casa grande e vazia num subúrbio qualquer, esse é o sonho não é? Que a única preocupação de uma tarde de folga seja o horário em que meus filhos chegarão do shopping, ou se os pais dos amigos deles vão mesmo trazê-los ou eu terei que ir buscá-los no meu sedã médio?

A realidade é que eu tenho 10 anos pra viver o meu auge e não posso deixar esse tempo passar, mesmo que digam que nunca é tarde pra fazer alguma coisa, não existe um botão mágico que se aperta e recupera sua juventude de volta, ela vai passar e quando mais cedo você admitir isso, melhor você pode aproveitá-la. A juventude é como um passeio num final de semana em uma curta viagem de férias chamada vida. Eu não posso negar que quero uma casa no subúrbio, filhos adoráveis, um cachorro chamado Peralta e uma gata chamada Marly. Mas, a solidez das casas do subúrbio vão além dos tijolos e suas colunas, pessoas sólidas com trabalhos sólidos estão por detrás daqueles muros. E eu também não posso negar que aquelas casas vazias me assustam, aquelas rachaduras no chão de concreto, seria tolice ou esperteza trabalhar duro durante uma década pra deixar o seu sonhado jardim morrer? seu cachorro acorrentado? Seus filhos numa escola integral? De que serve uma casa com fachada bonita se eu nunca terei tempo de parar para apreciá-la, passaria minha vida num escritório qualquer enquanto o pôr do sol beija os muros que fiz questão de construir, as tintas que escolhi, as cortinas que comprei. Esse é o meu futuro? Agora me pergunto.


Resolvi fazer algo diferente na semana do meu aniversário, colabora deixando o ❤ semana que vem voltamos com a programação normal, eu acho….