Veneno

Ainda lembro que parei pra te procurar

Lembro dos sorrisos em que pensei te achar

Mas descobri que a busca do amor é longa

E que o destino conosco apronta

Lembro-me dos beijos bons demais pra mim

Dos sonhos que fiquei de fora

Pois eles não eram sonhos meus, no fim

E entre sonhos perdidos o amor vai embora

Tantos casais constroem seu amor

Sólido como uma parede de casamata

Só que amor falso me maltrata dolorosamente

Um veneno que mata devagar

Uma dor que você começa a gostar

O amor te mata silenciosamente.

Like what you read? Give Jeferson B. Cruz a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.