E aquele ali?

O dia se inicia. A rotina também não se atrasa, vem logo em seguida. O mesmo caminho de sempre parece mais tedioso que o normal. O sol batendo no meu óculos de grau, me lembrando o quanto o mesmo está sujo. Os cães sendo cães uns com os outros. O trânsito sendo o trânsito. Meu tênis sendo sujo, como gosto de mantê-lo. O vento sendo calmo, como a manhã nublada pediu que fosse. E aquele homem? Será que hoje está sendo como é de fato? Ou o que a vida lhe impôs? A religião talvez? A família? […]

E eu?

Like what you read? Give Jefferson Gonçalves a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.