My Personal Elvis.

Uma vez eu disse a minha amada, Bianca Delgado, “Só tem dois caras que quando morrerem eu vou ficar muito, mas muito triste, Alan Moore e David bowie”, bem, hoje um deles se foi.

Descobri o Bowie com uma música do filme Labirinto, onde ele fazia um papel e a trilha sonora, e na minha curiosidade fui buscando seus outros trabalhos que me levaram a descobrir coisas como Krautrock, música eletrônica, música negra, arte de vanguarda, glam, punk, pop etc.. , e quase furando o LP Duplo Changesbowie, eu fui aprendendo o que nada pode ser desprezado e que tudo pode ser transformado.

Nessas sincronicidades da vida, ontem eu coloquei clips de The Next Day e do novo Blackstar, e pensei, “ Como o Bowie anda mórbido, quase tudo ai lembra morte”, e infelizmente eu estava certo.
Hoje, descobri que até os camaleões morrem.
Vá em em paz “meu Elvis”.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.