O Mundo Pertence A Uma Estrela Negra.

O Bowie é tipo o Chaplin, o Einstein ou o Napoleão. Não é questão de gosto. Você pode nem conhecer, mas, quer você queira ou não ele construiu o mundo no qual você vive e, por consequência, molda a sua personalidade. O cara inaugurou uma espécie de sonho maldito. Um pensamento niilista no epicentro do pop. 
Misturou teatro, performance, música, amor, morte e filosofia e fez isso sem cagar uma regra. Negar o Bowie é passar atestado de falta de sensibilidade (pra não falar de burrice). As pessoas podiam salvar o tempo que elas usam escrevendo pataquadas sobre um ser certamente mais inspirado do que elas próprias, e gastar esse tempo dando uma ouvidinha no Space Oddity ou no The Rise and Fall of Ziggy Stardust and the Spiders from Mars. Vai fazer bem pra essas pequenas almas de pouca luz.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.