Dia 11

Meu pulso está marcado, mas dessa vez eu não usei gilete ou qualquer objeto que pudesse cortar, fazer sangrar e doer. 
Marquei meu pulso com uma caneta azul, isso representa minha vontade de me cortar mais uma vez, mas também demonstra que eu consegui driblar isso no dia de hoje. Hoje eu consegui, por enquanto.

Mas eu ainda continuo chorando com medo de permanecer e existir, ainda dói.

Jeniffer Noronha

Like what you read? Give Jeniffer Noronha a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.