Pra isso

- Eu não nasci pra isso!

- Pra isso o que?

- Isso, pra isso aqui, pra tudo isso que chamam de..

- Chamam de que, do que está falando?

- Isso que chamam, aquela coisa que, esse processo inútil e desgastante..que palavra terrível, você me entende?

- Como poderia? Você até agora não disse nada com nada, desembuche. Que processo? Que coisa terrível é essa?

- Que tolo! Ah, está tão claro como a luz de um farol, tão evidente como o desespero que eu sinto por não ter nascido pra isso.

- Tolo? Eu? Me ajuda a entender o que posso fazer se sua cabeça cheia de ideias é tão confusa e…me fale logo, chega de rodeios.

- Você não acha terrível esse processo todo? Nascer, viver e morrer…sem eira, nem beira ou propósito? Estar no mundo e ter que fazer as coisas que estão no mundo sem ao menos não ter tido a chance de escolher estar? Vida, poxa… vida. Uma palavra, quatro letras e tantas desordens juntas, sem sentido, sem direção, só estar? E dizem ainda que é um presente, poxa, ninguém perguntou se eu queria abrir, desembrulharam e puft é seu, cuide dele. Argh, que injusto! Que injusto!

Jeniffer Noronha

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.