E foi Novela…

Não me apeguei, mas sofri. ‘Velho Chico’ não foi motivo do meu bem querer… Mas tive cada sensação estranha, cada encantamento que me brotava aos olhos. Talvez seja essa a função da telenovela, especialmente a nossa, tupiniquim, brasileira, ser emotiva por natureza.

A obra de Benedito Ruy Barbosa, escrito por seu neto, Bruno Luperi e direção de Luiz Fernando Carvalho, teve um texto poético, sublime e atual. Contou um Brasil em pequenas doses teatrais, descreveu um Nordeste, lúdico, talvez… Mas visceral em sua representatividade.

Tudo isso… Tendo ali, o Francisco vestido das águas que guiam o seu povo, que dá curso ao destino e que dá voz as lendas e contos. São Francisco foi testemunha e personagem principal da novela - Trama melancólica e doída em seus momentos derradeiros… Mas bela, como o encontro do Rio protagonista com o mar, que habitava os sonhos do Martim menino.

A lição que fica?! E o quão BRASILEIROS somos e o quanto de brasil carregamos em nós. Nossa essência, nossa paciência e decência cabem nesse conto?! Ou somos feito saruês… Cobertos de desamor e pavor ao semelhante…?! Mesmo sendo, poesia pura, poema a cada fala, a cada atuação, a cada GESTO… ‘Velho Chico’ foi novela, atual e “moderninha” se olharmos para o cenário político e ambiental.

E por fim: Que obra belíssima!

Domingos Montagner, Irandhir Santos, Selma Egrei, Lucy Alves, Lee Taylor, Gabriel Leone, Camila Pitanga, Marcos Palmeira, Zezita Matos, Giulia Buscacio… Todos, todos… Amo telenovela por isso;

Pelo encantamento que me causa.

Daiane Anselmo