Maria & Celso

Maria (Bianca Bin) foi acolhida por Anastácia (Eliane Giardini), pra viver e trabalhar de empregada em sua mansão. A viúva milionária havia se comovido com o drama da moça. Maria estava grávida, amargurava a morte do noivo e a rejeição de seu pai.

Já no novo emprego, ela passou a enfrentar a maledicência de Sandra, (Flávia Alessandra), a sobrinha de sua patroa que passou a influenciar e instigar o irmão Celso (Rainer Cadete) a fazer o mesmo. O plano é fazer da vida da “empregadinha” um inferno. Ele passou a assedia-la, fez insinuações e a propôr absurdos - O então boêmio e pé de valsa nas noites do Dancing, fez de seus ociosos dias, uma verdadeira perseguição a empregada da casa.

Mas Maria, jamais abaixou a cabeça. Se impôs, se mostrou destemida e sem papas na língua… Aos poucos, aquele almofadinha insuportável começava a se perder em suas próprias armadilhas, a demostrar nervosismo toda vez que se deparava com a personalidade forte de uma Maria cada vez mais firme e radiante com seu bebê crescendo dentro de si. Enquanto ele entrava em conflito consigo mesmo, sem saber ou sem querer admitir, o que exatamente sentia. O moço passou a oscilar entre gentilezas e rudezas com muita facilidade e frequência. Até ir se desfolhando… O rapaz ríspido e de fala dura, de fato, poderia ter algo de bom e de nobre escondido naquele coração. Mas Maria, esperta que só, começou a perceber que Celso não era tão duro assim, conforme esforçava parecer.

Se aproximaram tanto, que os beijos dados por dó, por impulso, por estar desfalecida… Ficaram cada dia mais frequentes e “Maricel” (apelido dado pelos fãs do casal), se apaixonaram e quando se deram conta disso, eles e especialmente ele, não sabia o que fazer com esse sentimento.

Até que a pequena Ana nasceu, Maria cresceu ainda mais, seus olhos imensos de tão azuis, falavam por ela e a admiração de Celso acompanhou. Entre idas e vindas, picuinhas miúdas, beijos por acaso, tramóias de Sandra e ciúmes de Fábio… Celso soltou um sonoro: “Eu te amo, Maria!” - A partir daquele instante, todo o amor aprisionado, ganhou liberdade! Celso se dispôs a aceitar Aninha como sua, mesmo sem ter muita noção do tamanho da responsabilidade. A única certeza que ele tinha, era de seu amor e do quanto ele estava entregue à aquele novo sentimento.

Ela por sua vez, vestiu-se de prudência e não se permitiu amar plenamente; Embora já fosse toda amor por Celso. A desconfiança que ela depositava nos irmãos Sampaio Carneiro e a enorme gratidão por Anastácia, fez de Maria uma verdadeira guardiã da patroa. As mentiras de Celso pra proteger a si mesmo e a Sandra, em nada convenciam a jovem, que quanto mais pressionava o já então namorado, mais tinha certeza das tramóias da irmã dele.

Maria! Heroína por mérito e direito. A filha de Severo (Tarcísio Filho) desmascarou uma, duas, três vezes e ainda alertou tantas outras… Até que finalmente, a sobrinha maléfica saiu-se vitoriosa - E não tardou pra Maria descobrir o que coração de Celso tanto tentou esconder. O chão se abriu, as lágrimas rolaram e “Maricel” terminou. E de novo Bianca Bin brilhou! O término de Maria e Celso rendeu comentários e também destacar o trabalho dos atores… A virada definitiva do personagem vivido por Rainer, foi um dos pontos altos da história do casal. O apaixonado rapaz resolveu de fato, lutar por justiça, mas especialmente por sua paixão. Munido de coragem, uma promissória assinada pela irmã e pitadas generosas de acidez, ironia e sarcasmo, fizeram de Celso o “REI” da situação. O irmãozinho de Sandra a colocou contra a parede, usando uma das armas preferidas da vilã: A ameaça.

Ele confessou, provou e pediu perdão a tia, que e o perdoou de coração aberto. Se dispôs a ajudar e a reconquistar: E conseguiu! É como conseguiu… A admiração pelo rapaz só fez aumentar! Maria estava sendo amada e se permitindo amar finalmente.

Rainer construiu e gradativamente foi desconstruindo o Celso, tudo numa mesma pessoa, sem perder as referências, as marcas do Celso de antes… Ele foi transformado por amor e não puro e simplesmente mudado por ele. Até se jogar na frente de um carro, pra salvar sua amada, ele fez.

Toda pouca empolgação do casal central de ‘Eta Mundo Bom’, não foi capaz de causar danos a trama. “Maricel” superou as expectativas, e nem os haters deram conta de ofuscar. A história do cafajeste que muda por amor, está longe de ser uma coisa nova em telenovelas… Mas Walcyr Carrasco conduziu tão bem a transformação dos personagens, que a sensação tida por muitos, é que nos deixamos encantar pelo rapaz, ao mesmo tempo que Maria permitia se apaixonar por ele. E o destino não poderia ser diferente….

O casamento de Maria e Celso, foi uma das sequências mais bonitas de ‘Eta Mundo Bom!’ - O casal sucesso enfim se casou numa cerimônia simples, de poucas falas e troca de olhares que sempre falaram muito mais por eles. O enlace dos personagens foi pura emoção e evidenciou ainda mais, toda sintonia e química dos atores e amigos de longa data, Bianca Bin e Rainer Cadete.

Embora parecesse último capítulo. O casório dos personagens não foi o FIM definitivo nem deles e nem da trama. Doces emoções e surpresas de um marido apaixonado viria a nos encantar. Maria e Celso ficará guardado num cantinho bem especial no nosso arquivo de novelas e ‘Eta Mundo Bom’, também!