No ar - Rock Story

‘Rock Story’ navega até aqui, em tranquilas águas - curso favorável, propiciado por uma condução certeira, envolvente e que não subestima a inteligência dos telespectadores. A trama de Maria Helena Nascimento - direção de Dennis Carvalho e Maria de Médicis mostra ao público que o óbvio, pode não ser tão óbvio assim.

A autora apresenta em seu texto, um olhar amplo do cotidiano. Às vezes, leve e divertido e por vezes vestido de uma realidade, dura. Contando a cada capítulo uma história verossímil - sem apelar, até agora, para os vícios corriqueiros de praticamente todas as tramas da faixa das 19h. “Rock” não se apega aos modismos, adota a rotina como um dos seus principais meios condutores, sem ser piegas.

Aliás, essa dinâmica aproxima ainda mais o público da história. A novela nos insere e nos deixa livres pra acreditar/creditar ou não, as ações e reações de cada perfil. É admirável a engrenagem adotada, o uso com propriedade de artifícios folhetinescos, sem medo ou receio da sensação de mesmice. Os famigerados clichês, por exemplo, são até que, bem diluídos​ na história - Que tem uma direção coesa e firme, que torna tudo mais dinâmico e de fácil compreensão. ‘Rock Story' é considerada uma trama peculiar, “diferentona” aos olhos da crítica especializada. Mas uma de suas principais virtudes, e não precisar apelar para os tons acima. Seja de voz, cor, gestos, palavriado, perfis caricatos. Esse tipo de “leitura” aproxima ainda mais a trama de pegada ‘Rock in Roll’, de pessoas comuns - que compreendem as histórias sem precisar fazer uso de um roteiro didático e enfadonho, pra poder explicar nuances e intenções que se apuram nas entrelinhas.

Como é o caso da mocinha, nem um pouco altruísta da trama. Não há nada de totalmente certo em sua vida - e mesmo as coisas estando fora do lugar, Júlia, vivida por Nathalia Dill, não faz da vida, um mero dramalhão. Ela convive com erros e acertos, na mesma proporção que, aprende com eles. A atriz, ainda interpreta gêmea mau caráter, Lorena. A atuação em dose dupla de Nathalia, é um dos pontos fortes da novela.

Essa realidade toda é diluída em conflitos “bolas de neve”. Diana, personagem de Alinne Moraes , colocou o ponto final de seu casamento em “stand by”. Sua dificuldade em admitir seus erros e seus exageros, expõe toda arrogância da diretora artística da ‘Som Discos’ - gravadora fictícia da trama. Diana não abre mão, não admite, ela aponta, acusa, julga e condena… Mas esconde suas fraquezas. Sua vilania tem razão de ser; A personagem erra por algo ou por alguém, nunca em vão. Mesmo que seja para satisfazer, seus injustificaveis caprichos.

Vladimir Brichta da vida a Gui. O ator está perfeito no papel, o personagem é um dos perfis mais interessantes da novela. O roqueiro é encrenqueiro e inconsequente, mas, boa praça toda vida. Apaixonou-se pela garota problema, Júlia (Nathalia Dill). O casal exala química e sintonia - seus inúmeros problemas, ora os aproximam, ora os afastam. Mas a cada novo obstáculo, Júlia e Gui, provam que um é muito importante, na vida do outro.

Entrando na sua reta final, ‘Rock Story' tem sido uma agradável surpresa, a cada capítulo. Trata seus segredos e mistérios, com muita dignidade e não demora muito pra joga-los na roda. Fazendo assim, a engranagem funcionar, plenamente. Muito bom, pra uma trama que, chegou despretenciosa, mas foi se revelando um delicioso folhetim e de muita qualidade.

Daiane Anselmo

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Daiane Anselmo’s story.