Nem tudo que parece
De fato, é.
Mas como saberei
Se aquilo que pareço
Tem a ver com quem eu sou?
Que aquilo que transmito
Não diz ao outro
(Ou diz?)
Sobre o amor?

Embora eu devesse
Explicar melhor o que
Digo
É mais fácil usar as palavras
(Protelando o entendimento)
Assim me entrego
Pelo que subtendigo.

É sim ou não? 
Ou é mesmo indecisão?
Certeza, metáfora
Paráfrase, metonímia
Estigma, fracasso,
Descaso... Reajo!

Agora não mais me calo:
Vida longa? Metástase...
Eu mesmo não!
Metást'Arte!
Não hei de morrer em vão
Morrer é, de todos, o destino...
Façamos valer a viagem, então!

Nem tudo o que parece
De fato, é.
Mas, por dentro
Nós sabemos
O que queremos mostrar.
O que não queremos e
Dos outros escondemos:

As vezes enxergam folhas
Sem saber que são asas
Nas costas daqueles
Como nós, a quem
Vez ou outra
Tentam impedir de voar.