Sobre contar histórias

Nunca parei pra contabilizar quantas pessoas passaram por minhas lentes, quantas histórias foram contadas, algumas que ainda são, outras já mudaram de rumos, penso em como uma foto pode ser importante pra alguém. Como amei fotografar a dona Joanna, em seus 94 aninhos, como amei ter registrado uma parte da vida de tantos casais e famílias que se iniciaram e continuam lindonas. Imagina daqui dez ou quinze anos, rever como tudo começou de uma forma especial? Imagina ver as crianças do concurso se vendo no futuro como parte de algo grandioso pra qualquer família que lide com a síndrome de Down hoje? Vendo o quanto são amadas e mostraram ao mundo aqueles sorrisoes! Isso é mais gratificante do que qualquer dinheiro possa pagar. Tô imaginando no futuro ver meus casadinhos mostrando aos seus filhos as fotos do seu casamento, como a mamãe estava linda naquele making of e o papai mais charmosos que nunca. Eu penso demais,eu sei. Mas imagine você também, ter uma lembrança assim da sua família? Falo por mim, sei que meus pais me amaram desde que eu nem existia ainda mas não tenho registros dessa história, sei que os tempos eram outros mas qual seria o valor daquilo hoje? Me apeguei a uma foto em especial, deles em um churrasco e eu bem bebezinha no colo da minha mãe, que sorria com seus cabelos longos e presos num rabo de cavalo. E essa sensação é muito boa, de um valor imensurável. 
Por isso levo a fotografia tão a sério, por isso tô buscando aperfeiçoar essa experiência cada dia mais, pra que as pessoas levem momentos pra casa, muito mais do que imagens em um pendrive. Quero contar histórias, simples e verdadeiras. Quero que as pessoas vejam como são bonitas, enxerguem com meus olhos, pois eles vêem mais do que uma dona de casa e seu marido, eles vêem o amor, vêem a cumplicidade de anos juntos, vêem mais do que,muitas vezes, nós não enxergamos sozinhos. Ontem me emocionei com as fotos dos meus sogros, que sentimento delicioso! É isso que busco, fazer outras pessoas sorrir, e sorrir também. 
Tô falando de fotos, mas também tô falando da vida. Tô falando em se importar, em se ajudar, em fazer pelo outro aquilo que queria que fizessem com você. Tô falando daquele velho mandamento, de amar ao próximo. Vamos juntos, valorizar a vida? Se uma pessoa já leu isso e se importou, e acendeu alguma chama, nem que seja pequena aí dentro, pra mim já valeu…