O silêncio vibra em meus ouvidos e a neblina paira no ar. A quietude me habita. Vislumbro um pouco de paz interior. Por hora, não há pensamento do ontem ou do amanhã. Hábito o agora, inspiro o hoje. Há uma chance disso ser apenas fruto da minha criação. Palavras sussurradas ao pé do ouvido. Todavia, há a esperança de que esse breve momento de plenitude seja real.

[JTS]