A vida é um eterno recomeço.

Olhar pra vida as vezes parece ser algo assustador, não possuímos tanta informação. Ela não veio com um manual de instrução, e eu não consigo encontrar o equilíbrio entre temer ou não.

O que eu sei é que a vida vai sempre nos trazer situações; situações que (sem nenhum tipo de escolha) vamos aprender a lidar. Todas elas vão sempre parecer ser o fim do mundo. Todas elas vão sempre parecer que chegamos ao nosso limite, e isso vai nos fazer acreditar que lutar já não da mais. Mas depois delas vem outras, e a sensação parece ser a mesma (ou pior), ela volta com mais intensidade. A vida jamais esquece a intensidade.

Terminar um relacionamento vai parecer ser uma situação insuperável, mas felizmente (ou infelizmente) os óculos que temos para enxergar essa situação possuem defeitos; eles barram a nossa visão além da situação. Então, sofremos e choramos como se não fossemos resistir ao amanhã, quando na realidade, tudo o que mais queremos é que ele chegue logo, que bata a nossa parte porta e que junto traga algum tipo de conforto, pequeno que seja. Nós sempre depositamos esperança no amanhã, mesmo ele sendo tão incerto.

Romper algum tipo de amizade também é uma dessas situações amargas que enfrentamos da vida. Acreditamos (baseados nos nossos motivos) que não da pra confiar em mais ninguém. Acreditamos que é perca de tempo compartilhar segredos; e acreditamos que nunca mais vamos encontrar alguém que se encaixe novamente no título de melhor amigo. O que esquecemos é que ainda há milhares de desconhecidos no mundo, que a princípio não sabem nada sobre nós, mas logo (por alguma situação da vida) alguns saberão e mesmo assim, escolherão estar de malas prontas pra partir. Nós temos essa mania de largar tudo.

O que ninguém nos contou é que somos formados de amanhãs, e cada um desses amanhãs são recomeços; porque a vida, ela é um eterno recomeço.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.