2017 poderia ser descrito em uma palavra/processo: Desconstrução. Foi tão doído que não consigo dizer com leveza que foi bonito, embora, eu tenha a convicção de que foi necessário. E todas as vezes que eu me desesperava sem nada entender , eu sentia a certeza de um propósito maior naquilo tudo, de um Deus amoroso que cuidou até agora, que cuida e fielmente SEMPRE cuidará de tudo. Que 2018 seja de construção, não da forma que EU planejo ou sonho, mas que eu tenha aprendido a ser alicerce pra que o Deus quer. Felicidade, eu te faço com fé 365 convites, fica comigo!


One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.