O que é bolha social?

Imagem: Warner Bros. Pictures

É inegável a influencia de redes sociais no cenário global atual, analisando desde comércio, publicidade, cultura, estilos de vida, liberdade, politica e demais outros assuntos, fruto da globalização, e talvez umas das ultimas etapas da globalização a causar tanto impacto mundialmente.

Redes sociais como o Facebook, Twitter e Youtube apesar de oferecerem os seus serviços “gratuitamente”, são organizações que crescem exponencialmente nas bolsas de valores, mas como ganham dinheiro?

Informação é o termo chave que define a rentabilidade de organizações desse setor, nossas informações, nossos dados estão a todo momento sendo analisados, como você pode ver nesse link por exemplo.

Essas informações são filtradas, analisadas e catalogadas para nos proporcionar um serviço compatível com o gosto pessoal de cada um, isso auxilia as redes sociais a selecionar propagandas compatíveis com nossos interesses, amigos, grupo e etc. Esse é o preço que pagamos pelos serviços “gratuitos”. Nossos dados são utilizados para nos fazer sentir bem em um ambiente amigável, por exemplo, o Facebook nunca mostrará um anúncio sobre o Corinthians se você torcer para o Palmeiras.

Se você acha, avaliando pelo seu circulo social, que você detém de opiniões, gostos, aparências, culturas e estilos de vida parecidos com a maioria dos seus “amigos”, das redes sociais, e que talvez essa opinião seja a predominante em um largo cenário geopolítico, você está em uma bolha social.

Uma bolha social é o resultado da catalogação de suas informações, e interfere principalmente em opiniões pessoais, como acompanhamos através de movimentos políticos como o MBL (Movimento Brasil Livre) e o Jovens de Esquerda, movimentos culturais como Rock Wins e o Funk Wins, movimentos ideológicos, como as páginas Orgulho de ser hétero, Moça, não sou obrigada a ser feminista, Feminismo sem Demagogia e Cartazes e Tirinhas LGBT, dentre milhares outras, causam uma segmentação de público, inclusive em escala mundial. A bolha coloca o usuário em um ambiente perfeito para ele, sem os perigosos conteúdos que possam chocar a sua realidade e contradizer suas opiniões.

Vemos em território nacional, duas grandes categorias de bolhas que chocam-se, a bolha política e a bolha ideológica (onde incluem-se as bolhas religiosas também).

A bolha política, na opinião do autor, é o maior exemplo de uma estrago que uma rede social pode causar, isso mostra a força dessa ferramenta, pois foi capaz de segmentar, precisamente, os movimentos políticos em território nacional, como os usuários favoráveis à Direita Econômica e à Esquerda Econômica, aos Liberalistas e aos Autoritaristas, em algo que quase virou uma guerra política na época do Impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, e que perdura até hoje nessas questões, com ambos os lados achando “Detentores da razão” e da maioria.

Porém, nota-se também a capacidade de distorção dessas bolhas, onde insere-se tanta informação, que não se é possível distinguir a confiabilidade delas, como por exemplo, ainda em cenários políticos, as definições de Direita, Esquerda, Comunismo e Capitalismo estão sendo alvo de uma má interpretação por ambos os lados, algo que a página Prints de Analfabetos Políticos nos mostra muito bem.

Fato que nos leva a negligencia por falta de informação, ilustrada bem com a seguinte frase de autor anônimo: “se esta na internet, então deve ser verdade”, onde observamos através de páginas como Fatos Desconhecidos a falta de importância que a autenticidade de uma noticia está sofrendo, onde publicam-se fatos sem nenhuma referencia cientifica ou jornalística sobre tais, como prova o Professor Pirula em seu canal do Youtube (Vídeos aqui e aqui). Vivemos em uma polarização restritiva e dogmática, similar ao que uma religião faz, só que divertida.

Então, como sair da bolha? Do mesmo modo que saímos da Matrix! Devemos estar preparados para aceitar a diversidade de conteúdo que a internet como objeto de globalização nos trouxe, e quando nos sentirmos preparados, devemos interagir com todas as bolhas, buscar informação com confiabilidade, pois a falsidade está em todas os cantos, devemos aceitar uma realidade muito maior que o seu e o meu mundinho interior.

“Mas lá vem eles novamente — Eu sei o que vão fazer — Reinstalar o sistema”

Admirável Chip Novo, Pitty