Os velhos medos

Em um ano novo?

É manhã do dia 01 de janeiro. O ano literalmente acabou de começar, uma vez que eu fui dormir há poucas horas e acordei agora.

Ontem, dia 31 de dezembro, naqueles momentos de reflexão que antecipam a virada de ano, prometi a mim mesma que não iria deixar alguns medos terem tanto poder na minha vida quanto tiveram em 2017.

Mas cá estou eu, com a cabeça cheia de pensamentos movidos por pequenas inseguranças sem importância.

Eu sei que isso é só um reflexo da ansiedade gerada pelas expectativas que a gente cria para o ano novo.

E também sei que ainda tenho 364 dias pra mudar esse mindset. Até porque nenhuma mudança acontece de uma hora pra outra.

Então, é bem provável que daqui a pouco esses pensamentos se percam e vida que segue.

Mas agora, nesse exato momento, a pergunta que fica na minha cabeça é: o ano é novo mas os problemas são os mesmos?

Eu espero que não.

#feliz2018

Foto: Victoria Smith

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.