são 21:24 e eu não poderia estar mais confusa
não sei se é a fome ou o pensamento no dia que vai vir
amanhã é sempre um medo
ou então é muito chato
e enquanto isso as batatas cozinham
vai ter sopa de batata com abóbora
e aquelas rodelinhas de alho poró
mas só quando as batatas cozinharem
e a espera sempre aumenta o medo

são 21:29 e parece que se passaram anos
porque o silêncio e a espera e a
solidão é do tamanho da distância entre você
e a pessoa mais próxima
por isso gosto de morar em apartamento -
sempre tem um vizinho vivendo meio perto
de mim

são 21:32 e eu estou muito cansada
mas poderia passar a noite escrevendo e bebendo
e fumando como se fosse poético, mas isso
já foi esgotado
agora a única forma de originalidade reside
eu nem sei onde, talvez
em cozinhar batatas

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Joana Fontana’s story.