Estamos esquecendo do principal, o conteúdo

É preciso aparecer para ser lembrado?

Não foi uma ou duas ou até trinta vezes que este assunto me veio a mente. Seja no Facebook, no Twitter, no Instagram, no Medium, no Snapchat ou qualquer outro meio de contato social mediado por um site ou aplicativo. Quem não faz postagens parece não ter espaço nesses meios.

No curso de jornalismo somos cobrados a criar material para portfólio, conheci o Medium assim. Apresentado pela coordenadora do curso, ele veio para sanar a nossa necessidade de espaço para postagem. Muitas vezes, não sabemos o que postar na internet, é normal, ninguém gosta do trabalho que fez (pelo menos eu sou assim), ou não temos certeza do que fazer com aquele trabalho ou aventura pessoal (nos primeiros semestres da faculdade tudo que fazemos fora da sala de aula é uma aventura).

Conteúdo virou diferencial na internet

Afinal, é tão necessário postar material o tempo todo?

Creio que não, e explicarei o porquê!

Durante seis meses fiz parte da equipe de Marketing e Comunicação de uma Faculdade de Porto Alegre. Fui chamado para ser “criador de conteúdo”, coisa que quase não tive espaço para fazer… Nesse tempo, estudei e ouvi muito sobre redes sociais, percebi o total despreparo de alguns sobre este assunto.

Muitas vezes ouvia que precisávamos postar algo no Facebook, pois ele estava “muito parado”. Ao mesmo tempo, esqueciam de outras redes sociais, pelo simples motivo de elas não terem tantos seguidores. Pois é, até agora podemos perceber a falta de algo fundamental, o conteúdo.

Creio que o principal para uma pessoa ou marca é o que ela faz e o que ela representa. A opinião de terceiros não é criada a partir de visualizações, e sim na compreensão da mensagem que está sendo transmitida.

Posso ter cometido um grande erro comparando empresas e pessoas, mas ideia era exatamente essa! Estamos virando empresas, querendo apenas aparecer e praticar Marketing Pessoal. Sim, eu sei que é inevitável fazer isso atualmente, estou fazendo isso agora, por exemplo. No momento que dou opinião sobre algo ou alguém, levo comigo a minha marca e eu pretendo sempre que a minha marca venda um bom conteúdo a meus ouvintes e leitores.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.