Quais são as profissões que podem acabar?

Antes de dizer quais são as profissões que podem acabar, quero afirmar que as profissões do futuro ainda não existem.

Não sabemos exatamente quais serão essas profissões do futuro, o que sabemos é que as qualificações e exigências como comportamento intra-empreendedor, mindset para inovação, foco em soluções criativas, interações sociais e negociações serão os pré-requisitos para essas novas profissões. Apenas como referência, Thomas Frey, do DaVinci Institute estima que 60% das profissões que dominarão os próximos 10 anos ainda não existem.

A notícia ruim é que o CBRE Institute publicou uma pesquisa dizendo que 50% das profissões de hoje se tornarão obsoletas até 2025. Se observamos somente na indústria, essa informação faz sentido, pois a robotização já está ameaçando vários postos de trabalho. A Samsung, por exemplo, quer substituir trabalhadores humanos por robôs de baixo custo.

Segue abaixo um resumo de algumas profissões em vários segmentos que podem simplesmente desaparecer com o uso intensificado da tecnologia, com a economia compartilhada e com o impacto da inovação.

  • Operador de telemarketing;
  • Vendedor de seguros;
  • Bibliotecário;
  • Arquivista;
  • Contador na área de impostos;
  • Analista de crédito;
  • Consultor Financeiro;
  • Costureiras;
  • Leitor de medidores de água e luz;
  • Agente de viagens;
  • Lenhador;
  • Carteiro;
  • Cobrador de ônibus;
  • Frentista de posto de gasolina;
  • Técnico em computador.

Fonte: Bureau of Label Statistics, Carrer Cast, CBRE Institute e Market Watch

O motivo? Essas carreiras sofrerão um desgaste muito grande com o tempo e uma forte competição com a automatização, portanto, pode não fazer mais sentido a sua existência. A consequência poderá ser a substituição ou a extinção.

Não sou eu que estou afirmando que essas profissões vão acabar (apesar de algumas até parecerem óbvias), até porque não sou profeta e muito menos alardeador do caos, porém é inegável que as coisas estão mudando muito rapidamente e não precisa ser um especialista para entender de inovação e da nova economia.

Apenas para ter uma noção, segue uma lista-resumo com as profissões que estarão fortalecidas e serão destaque no mercado de trabalho do Brasil nos próximo anos, segundo uma matéria da Revista Exame:

  • Coordenador de desenvolvimento da força de trabalho;
  • Gestor de treinamento de varejo;
  • Gestor de operações e logística;
  • Gestor de inovação;
  • Criador de conteúdo;
  • Gestor de marketing para e-commerce;
  • Gestor de comunidade;
  • Especialista em energia alternativa;
  • Especialista em cloud computing;
  • Especialista em Big Data;
  • Advogado societário e advogado tributário.

Como diz o especialista Fernando Mantovani, diretor de operações da Robert Half, que é a maior empresa de recrutamento especializado do mundo, não se trata apenas de profissões que vão acabar e sim de profissionais comprometidos e com comportamento adequado: “Bons profissionais sempre terão boas oportunidades no mercado, mas é lógico que não adianta ser especialista em manutenção de máquina de escrever.”

Meu conselho é que você fique antenado, não se feche para o novo, comece a olhar tudo por outras perspectivas e procure inovar também na sua carreira e se preparar para buscar uma oportunidade neste novo mercado.

Like what you read? Give João Kepler a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.