Ironia

Estava eu em uma sala de espera de uma clinica de psicologia, preenchendo uma papelada para fazer uma entrevista inicial. Eis que percebo um casal na minha frente, só me chamaram atenção porque a mulher falou alto sobre o marido não querer estar ali, e foi ai que comecei a prestar atenção.

A principio eram dois pais preocupados com seu filho, que segundo eles, era “infantil demais”, e claro, foram procurar ajuda psicológica pra ele, pra entender esse grande problema atual, chega a ser engraçado. A mulher preenchia a ficha e o marido ao lado, não saia do telefone, trabalhando, provavelmente. Ela lia em voz alta as questões pra ele e ele respondia de forma genérica ou não respondia porque estava ao telefone.

– Seu filho é tímido ? Lia ela pra ele.

– Ah, acho que é. Responde, sem pensar muito.
 Ela escrevia na ficha.

– Seu filho é introspectivo, socializa pouco ? Lia ela de novo.
 E ele ao telefone, e ela olhava pra ele, ora indignada, ora paciente.

– Olha só ! Não quer estar aqui ? É isso ? Não te preocupa com teu filho ?
 Ele encerra a ligação, finge que não foi repreendido e responde genericamente.

E esse ciclo se repetiu até o final, quando eles foram entregar a ficha, fizeram a entrevista e saíram satisfeitos, já que agora entenderiam e resolveriam, pagando as consultas, o “problema” do filho.

O que me pareceu foi que eram dois pais que, por motivos que eu nunca vou saber, neglicenciavam a convivência com o filho, o pai provavelmente por causa do trabalho, e a mãe eu não saberia dizer com o que eu ouvi, mas as perguntas dela evidenciavam que nem ela, nem o marido, conheciam o filho. Talvez essa criança não tenha “problema” nenhum, e sim os pais, e ironicamente, os dois estavam no lugar certo, só não sabiam.

Curtir isso:

Curtir Carregando…

Padrão


Originally published at joaoluizms.wordpress.com on August 1, 2016.