Olhar de criança

Um olhar puro, feliz e inocente de quem não imaginava
O que estaria por vir na vida, não via o humano como praga
Uma criança que tinha já tinha sonhos e vontade de voar
Que achava que o mundo se resumia em sorrir e amar
Cresceu e percebeu que é difícil voar quando só ouve não
Hoje um adulto que sabe que pode voar mas com os pés no chão
Ainda creio e acredito na essência que eu tinha quando criança
Eu não sei da onde tiro forças, na humanidade não há esperança

Aproveite enquanto é tempo, sua inocência lhe será arrancada
Curta cada momento, a vida é curta e de repente acaba
Seja feliz enquanto não tiver contato nenhum com a maldade
Na sua vida só existe Deus, coisas boas, desconhece a vaidade
Em meu primeiro contato com o demônio em forma de humano
Me perdi, mudei, chorei, fui outra pessoa por pouco mais de um ano
Percebi que o ser humano é sujo e com isso o brilho no olhar se perde
Minha alma era inocente, pura, mas neste momento o Yin Yang invente

Perdão por não ter conseguido manter aquele espírito para sempre
Garanto que se a gente soubesse não teríamos saído do ventre
O ser humano é o demônio e transformou a terra no inferno
Um olhar que tinha o calor do verão ganhou a frieza do inverno

Pequeno Luz, perdão por não ter conseguido fazer a diferença
Somos criaturas que guerreamos para defender nossa crença
Por isso te digo, aproveite ao máximo a virtude que é ser um bebê
Porque logo logo você cresce e seu refúgio é somente beber

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.