Journal vs Diário

Quais as grandes diferenças

Enquanto o Leão não contar a sua história a glória será sempre do caçador — provérbio africano

Manter um documento escrito sobre a nossa vida é uma prática. Trata-se de algo que se tem que praticar e quantas mais vezes melhor. No entanto não deve constituir nenhuma obrigação. Se não nos apetece fazê-lo é porque muito provavelmente não o devemos fazer.

A grande diferença entre journaling e manter um diário tem que ver com os assuntos e temas que são alvo de uma e de outra coisa, e tem muito que ver com a obrigação de que falei acima.

A principais regras do journaling são as seguintes:

1 — Mantém a mão em movimento (não pares para reler a linha que acabaste de escrever. Isso é batota e querer controlar o que estás a escrever)

2 — Não risques o que escreveste (isso é editar o que escreveste. Mesmo que tenhas escrito algo que não querias escrever, deixa ficar).

3 — Não te preocupes com a gramática, os erros ortográficos, a pontuação (nem sequer te preocupes em ficar dentro das margens das páginas)

4 — Perde o controlo

5 — Não penses. Não sejas lógico

6 — Ataca a jugular. (Se aparece alguma coisa na tua escrita que é assustador ou que te expõe, mergulha nisso. Provavelmente tem muita energia)

As regras de um Diário é que todas as entradas devem começar com a célebre frase: …Querido Diário, hoje,…

O Material

Já falei das canetas de tinta permanente, mas qualquer caneta serve, ou mesmo um lápis.

Também qualquer caderno serve, ou computador. Mas como se trata aqui de por caneta no papel, deve ser dada a preferência a um caderno.

Existem alguns blocos de notas famosos da marca Moleskine, no entanto eu lamento dizer que para as canetas de tinta permanente o papel destes cadernos não serve.

No entanto existem marcas mais famosas que não sendo muito mais caras ou até ao mesmo preço, fornecem papel de alta qualidade para a escrita com essas canetas. Estou a falar dos cadernos RHODIA ou LEUCHTRUMM 1917.

Qualquer coisa com papel clairfontaine.

Mas para os portugueses aficionados em produtos portugueses existe uma marca surpreendente, a MITOS. A MITOS fabrica cadernos de notas tipo journal, com papel de elevada qualidade apesar da sua fina espessura. Escrever neste papel da Mitos é uma opção muito mais em conta que os blocos da MOLESKINE e obtem-se um papel de extrema qualidade para o uso com as canetas.

O Sistema que utilizo

Eu utilizo um sistema tipo MIDORI TRAVELERS NOTEBOOK. Mas muito mais barato. Da ZLYC.

Trata-se de um sistema de Journaling que contém três livros, o primeiro é um MITOS capa mole de um conjunto de três cadernos, que é o meu JOURNAL. Depois o caderno de 128 páginas da MIDORI dividido em duas partes (pelo meio). A Primeira parte chamei-lhe NOTAS, que é onde coloco as citações e frases de livros que leio, algumas coisas que me inspiram e os posts que coloco aqui, e a segunda parte que chamei de TRAVEL que é onde tomo notas sobre viagens e a sua planificação.

O terceiro livro é um caderno de papel draft que é o ART JOURNAL. Onde uso várias técnicas, colagens, aguarelas, desenho… não tem mal nenhum um pouco de cor para o nosso journal.

Benefícios

Existem inúmeros benefícios. No entanto, não devemos avançar sem perceber as grandes diferenças entre as duas práticas. Manter um diário é escrevermos sobre o tema do dia. Journaling — vou passar a utilizar o termo em inglês — é um pouco mais do que isso, apesar de algumas vezes não passar de mais do que isso.

Journaling não é mais do que a contabilidade diária, de um ou vários estados de espírito, sejam eles influenciados ou não por uma vivência ou evento que tenha ocorrido nesse mesmo dia ou que tenha ocorrido no passado e hoje queremos falar nele.

Por exemplo, se nos queixamos de um chefe estúpido no trabalho, durante o trabalho, ou se estamos a pensar em como a filosofia ou os livros de Thoreau nos têm influenciado, ou sobre a experiência sublime do jantar com a pessoa de quem gostamos… isso é journaling.

Não deixa de ser escrita realizada num determinado dia de algo que pensamos como uma coisa que nos ocupa nesse dia, e entenda-se “ocupa” como algo que de uma forma ou outra entrou na nossa mente. Pode muito bem não ser sequer algo que se passou nesse dia. O objectivo não é chegar ao fim com uma descrição dos dias e como eles foram passados, mas a criação de uma espécie de mapa mental dos nossos pensamentos, angústias, preocupações, prazeres, gostos, etc.

Acima de tudo o journaling é um acto de reflexão escrita em vez de uma descrição.