Por que a maioria dos 'experts digitais' são uma fraude.

Não caiam no engodo dos experts em marketing digital, eles podem acabar com sua carreira ou seu negócio.

JP Teixeira
Nov 19, 2019 · 7 min read

De tempos pra cá, fenômenos bizarros vêm acontecendo no mercado digital. Autointitulados experts, digital influencers, mentores de vidas, ou qualquer outra terminologia ridícula, criaram um mercado de promessas de resultados milagrosos.

Num falatório extremamente motivacional e pouquíssimo prático, atraíram a atenção de uma audiência carente de boas referências, vendendo a solução mágica para o seu negócio. Segundo eles, o sucesso nunca esteve tão ao seu alcance. Basta segui-los.

Os fatídicos empreendedores de palco geraram como consequência uma espécie ainda pior: Os empreendedores de Instagram.

A característica principal dessa turma é a promessa de resultado rápido, mesmo sem terem alcançado nenhum resultado em suas carreiras. Longe de serem bem sucedidos no mundo real, usam a rede social como palanque, destilando toneladas de posts diários com as mais triviais constatações filosóficas sobre a vida, seguindo fórmulas manjadas de engajamento. Além de dicas banais com um verniz de expertise que faz qualquer trouxa cair na cilada do empreendedorismo digital.

Redes sociais estão infestadas de autoajuda com rótulos de empreendedorismo. Como alguém cai nessa cilada?

Carismáticos e com o bom uso da oratória, despejam platitudes de autoajuda de quinta categoria numa linguagem rasa como:

  • Seja o CEO de sua vida.
  • Aprenda hábitos e estratégias pra mudar o seu negócio.
  • Treinamento de inteligencia de alto impacto.
  • Viva os seus sonhos.
  • Você vai conquistar o que quiser, basta acreditar.

Dentre promessas absurdas, como “Como perder 20kg em 5 dias” a “ganhe 500 mil reais por mês”, a quantidade de chorume embalada em rótulos de “marketing digital” é imensa. Numa rápida pesquisa, encontrei trocentos experts com o mesmo discurso barato. Todos na ânsia de parecer cool, dinâmicos, engajados.

Nenhum resultado além do sucesso é aceitável. E tudo tem que acontecer AGORA!

Está claro que a indústria motivacional veio pra ficar. Alimentação, atividades físicas, relacionamentos, finanças, negócios, esportes, tecnologia e até mesmo maternidade estão submersos nesse mar de auto-ajuda.

O virtuosismo foi trocado pelo imediatismo. Afinal, encarar o processo natural de empreender e executar uma idéia dá trabalho, cansa, demora — interessante é parecer bem sucedido — e faturar alto em cima da ingenuidade da sua audiência.

Entendo que o uso constante de redes sociais são estratégias de marketing, por vezes bem sucedidas, já que alguns desses experts angariam milhões de seguidores. Admito o potencial e o importância das redes para negócios e carreiras. Há sim bons exemplos e cases nesse sentido.

O grande problema desse nicho dos empreendedores de Instagram é a grande falta de substância e bagagem. Seus currículos são um deserto de competências. Suas entregas são rasas e vazias. Há um imenso gap entre teoria e prática e um certo ar de charlatanismo. Longe de serem bem sucedidos no mundo real, posam de sabichões repetindo falácias e fórmulas traduzidas de algum impostor gringo. Empurram o discurso goela abaixo, como se ser bem sucedido fosse questão de escolha. Praticamente TODOS repetem sempre a mesma baboseira, não há originalidade.

Há um surto por esse tipo de conteúdo. Onde há demanda, há oferta. Onde há lixo, há moscas.

Desconfio do bom-mocismo, figuras contornadas por uma aura de altruísmo. Querem, na verdade, te passar a perna numa busca insaciável pelo enriquecimento rápido.

O lado extremo dos "Experts em Marketing Digital" e promessas absurdas de enriquecimento rápido.

Bons profissionais são forjados a ferro e fogo, não no paraíso lúdico das redes sociais. São esses profissionais que põem a mão na massa e fazem a máquina do mercado funcionar. As maiores referências do mundo digital fogem desse blá-blá-blá. São executores e não zumbis “caçando” o sucesso como se fosse carne humana.

Criar bons produtos e serviços ou ter uma carreira bem sucedida não é pra todos. Pra chegar lá, é preciso horas de voo, conhecimento prático e dedicação. Entorpecer-se com esse discurso fácil e simplório, não vai te levar a lugar algum.

Os dois lados na vida dos experts digitais.

Há uma evidente crise de qualificação profissional, consequência nociva dessa onda de experts. Aliada à falta de maturidade do mercado e o modismo dos digital influencers, muitos abandonaram a intenção de seguir uma carreira ou empreender de verdade pra buscar o sonho da figura do nômade digital, aposentado aos 30 anos, viajando o mundo trabalhando com internet. Como se o mercado de trabalho fosse um hobby ou uma gincana.

Amigos empreendedores reclamam que é virtualmente impossível contratar profissionais qualificados pra vagas de UX designers, front-end developers, diretores de arte, redatores etc. Há escassez de qualidade.

Talvez seja o efeito colateral comportamental de uma geração que busca sucesso antes do esforço. Grande parte dos profissionais pararam de aperfeiçoar suas habilidades pra enfrentar o cruel mercado de trabalho, substituindo a dedicação por prazeirosas palavras de empoderamento, como se empreender na internet dependesse apenas de motivação e boa vontade.

Vivemos tempos em que o discurso se sobressai à ação. É mais fácil criar a imagem de expert do que agir. A falta de referências na área fez surgir um tipo de "Terraplanismo do Marketing."

Com teorias baseadas em achismos, vendem a utópica receita do resultado fácil, ignorando convenções já estabelecidas pelo mercado. A conta é simples: quanto mais adeptos às suas teorias, mais dinheiro na conta. Pouco importa a verdade. Importante é angariar pessoas para o ciclo de lavagem cerebral, usando empreendedorismo como gatilho mental.

Assim como os terraplanistas desafiam a lógica criando falácias e teorias absurdas, os empreendedores de instagram tentam te convencer a todo custo que o empreender na internet é um passeio no parque. Ignoram que o caminho até o sucesso é uma estrada sinuosa, cheia de obstáculos. Para superar tais desafios, é preciso experiência, vivência e acima de tudo, ação.

Os tais experts não têm “Skin in the game”, expressão do pensador libanês Nassin Taleb, ao descrever que a autoridade é comprovada por meio da experiência empírica, ou seja, para chegar ao status de expert, deve-se ter vivido situações que confirmam a experiência e realizações.

Será que Cristiano Ronaldo, Lionel Messi ou aquele perna de pau do seu time perderiam tempo numa estupidez como: "

  • Seja um atleta de elite em 10 dias.
  • 15 passos pra ser um Superstar.
  • Baixe meu ebook e marque 30 gols por partida.

Por que com marketing, internet, design e tecnologia seria diferente?

Diante dessa infinita oferta de informação, raramente encontra-se conteúdo relevante e aplicável para carreiras e negócios. Temos a dimensão de como o mercado está inapto a ter uma direção verdadeiramente disruptiva e criativa. Falando especificamente do mercado digital, do ponto de vista prático, o resultado é um monte de coisas ruins, capengas, sem brilho.

Morando e trabalhando nos Estados Unidos há alguns anos e convivendo diariamente com pessoas de vários países, afirmo que os brasileiros estão no topo da lista no ranking de potencial criativo. Somos ágeis, rápidos e audaciosos. Temos que usar esses atributos em nosso favor. Fomentar um mercado mais moderno e dinâmico. Fugir das promessas de resultados utópicos e fazer a coisa acontecer.

Um dos meus maiores aprendizados trabalhando no Vale do Silício foi sobre os pilares que sustentam um negócio de sucesso. De acordo com os profissionais com quem tive o prazer de conversar em eventos de tecnologia e design, paciência, resiliência e execução são fundamentais para alcançar o sucesso no mercado digital.

Aprimorar habilidades, segundo eles, é primordial para se destacar diante do super concorrido mundo da internet.

" Ideias são nada, execução é tudo." Chris Sacca, investidor de empresas como Twitter, Uber, Instagram, entre outras.

Quando digo aprimorar habilidades, não me refiro somente a questões técnicas, e sim alguns quesitos importantes que todo profissional deveria buscar em sua carreira, como processos, gestão, prospecção, monetização e execução. Mais prática e menos teoria.

“Walk the talk”, como dizem os gringos.

Pouco adianta uma grande ideia se não consegue tirá-la do papel. Dos pilares mencionados acima, aprimorar a execução é o item mais viável e tangível dentro do Marketing e Design na web.

A experiência do usuário(UX), a estética(UI) e o conteúdo (copy — ux writing), quando alinhados dentro de uma boa execução, garantem grande parte do sucesso de uma ideia ou produto.

Além da execução, é consenso entre os profissionais do Vale que bons processos resultam em bons projetos e, consequentemente, bons retornos financeiros.

A mim parece um pouco estranha essa infinidade de experts digitais, que não conhecem o mínimo sobre quesitos essenciais como Design, UX, UI, copywriting, prototipação, branding, customer behavior, user journey, mas prometem fazer o seu produto ou carreira bombar na internet.

Seguindo o mantra “time is the money”, perder tempo com influências erradas pode arruinar sua carreira ou seu negócio. É preciso mais engajamento prático e menos filosofia barata de Instagram. Há um gigantesco campo de oportunidades procurando pelas melhores pessoas. Abram os olhos.

JP Teixeira

Written by

Brand Designer no Webflow — São Francisco, Califórnia. www.superskills.com.br

Welcome to a place where words matter. On Medium, smart voices and original ideas take center stage - with no ads in sight. Watch
Follow all the topics you care about, and we’ll deliver the best stories for you to your homepage and inbox. Explore
Get unlimited access to the best stories on Medium — and support writers while you’re at it. Just $5/month. Upgrade