Sexta-Feira

Hoje é sexta-feira. Aqui no Brasil, esse é o principal dia da semana. É o dia que anuncia o fim de uma rotina semanal cansativa, na qual muitos aderiram apenas para ganhar um salário no fim do mês.

Fim de semana começa e muitos ainda tem coisas pendentes a fazer. Ou não as farão durante os dois dias de folga ou empurrarão para a segunda-feira. Ou nenhum dos dois.

Na sexta-feira saímos com os amigos para beber e se divertir. Ficamos em casa com a namorada acordados sem a preocupação de levantar cedo. Escrevemos pensamentos soltos.

Também planejamos o que fazer no fim de semana, que assuntos estudar, quais notícias acompanhar, que amigos iremos ver ou nada disso. Podemos também apenas não fazer nada e simplesmente recuperar as energias. Temos tudo para fazer e ao mesmo tempo fazemos nada. Falta tempo, eu acho. Falta coragem. Falta organização. O que não falta é preguiça.

Para alguns o fim de semana começa apenas no sábado a tarde. Para outros, ele simplesmente não existe. Não sei como exatamente começou essa forma de organização social, em que se trabalha de segunda a sexta ou a sábado. Será que um dia isso irá mudar? Os horário ficarão mais flexíveis? Penso que seria melhor aqui no Brasil se recebêssemos por hora trabalhada e não por 40h semanais trabalhadas. O acordo sobre o horário de trabalho entre o patrão e o empregado deveria, formalmente, ser mais flexível.

Eu tenho a vantagem de ter um trabalho que foge desses moldes. Posso não trabalhar na segunda-feira, caso deseje. Posso começar meu fim de semana na quarta-feira e terminá-lo na sexta. Essa flexibilidade de horários faz muito bem para a minha vida, sendo esse um dos principais motivos pelo qual gosto do que faço. Penso que as pessoas, em grande parte dos seus empregos, deveriam ter mais flexibilidade de horário. Isso mudaria pra melhor a qualidade de vida delas.

Outra coisa extremamente importante para a qualidade de vida das pessoas nas grandes cidades é o transporte público. Esse assunto é deixado de lado pelas autoridades, pelos empresários e pelas pessoas também. Em uma cidade grande como Fortaleza, uma das capitais do Brasil, ainda não existir uma malha metroviária que atenda a grande parte da população me faz sentir que minha qualidade de vida é muito ruim.

Reflexões de uma sexta-feira a noite.