Papagaios…

Descobri recentemente, sem conseguir precisar a data, este blogue e desde então tenho lido atentamente todas as suas publicações.

A última — Contas de Cabeça — mais do que interesse, despertou-me a vontade de concordar publicamente com o que o autor escreveu. Estava a escrever um comentário na zona indicada mas decidi antes publicar o seguinte texto.

Não podia estar mais de acordo com o que é explorado. Apesar de, ao contrário do autor, ser muito pouco dado a números acredito que a capacidade reflexiva de abstracção, de compreensão e associação são essenciais para a aquisição de uma densidade cultural tão em falta na maioria das pessoas de hoje. O contacto com o mundo interno através da capacidade cognitiva, para os cartesianos, o lado racional, é essencial para uma boa integração dos afectos. Só a boa convivência destas duas dimensões permite contribuir para a construção do que chamo, e a expressão não é minha, de qualidade humana.

Na procura da simplificação (que é diferente de simplicidade, em si, um conceito extremamente complexo) de processos, da obtenção de resultado rápidos, de preferência tangíveis, e que servem interesses que não contemplam a complexidade humana apenas se encontram meias soluções, atribuir-lhes um valor de 50% talvez seja demais.

É pena ver que as mudanças que estão a ser pensadas e executadas apenas servem para perpetuar e reforçar o paradigma que nos trouxe à difícil situação que vivemos enquanto espécie.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.