O turismo e a perspectiva social e economicista de sua indústria

O turismo é um riquíssimo objeto de estudo para as ciências sociais, estando totalmente ligado à antropologia e às questões socioeconômicas.

O turismo, de forma sucinta, pode ser definido como “o movimento de pessoas”. Mas, apesar de ser muito mais que isso, esse movimento pode ser motivado por diversos fatores, tais como: busca pela identidade, busca pelo novo, questões profissionais, turismo de consumo, religioso, etc.

São consideradas turistas as pessoas que saem de seu país ou região para uma viagem de visita a outro país, estado ou região por um período de, no mínimo 24 horas e não superior a doze meses, sem que a intenção principal seja desenvolver uma atividade remunerada.

A prática do turismo têm impacto não apenas no turista, mas também na sociedade, no ambiente visitado. O turista vivenciará uma nova cultura, novos costumes, criará novas memórias. Já o local visitado será impactado pelo aumento da atividade econômica na sua região, por exemplo: criação de postos de trabalho, busca por mão de obra, etc.

O “negócio” turismo é muito rico, tanto para o viajante, quanto para quem o recebe. Porém, muitos estudiosos apontam que os habitantes do local visitado gostam do dinheiro, mas não do turista. Para esses habitantes há uma certa sensação de incômodo.