Somos escrotos mesmo?!

São meus amigos, se você viu o vídeo do pondé e também como eu fiquei intrigado e chocado com tudo isso, é por que temos alguns pontos de vista parecidos.

Quando vi este vídeo, fiquei pensando como ninguém em minha time-line viu isso, ou mesmo esta falando sobre isso. Neste fim de semana que passei no Rio de janeiro, tive o desprazer de presenciar uma cena horrível de destrato psicológico a uma mulher e por incrível que pareça, fiquei sem reação. Por este motivo decidi fazer um experimento e me perguntei:

E se meus amigos me descobrissem como um filho da puta machista. Como seria?

Não esta sendo muito prazeroso não.

Mas o quer realmente me deixou inquieto no vídeo e nisto o pondé tem uma razão.

É que nos heterossexuais homens, temos que falar muito sobre este assunto. E não é fazer textinho nos comentários, nem post na time-line, só para dizer que é descolado e moderno e depois no o mensagem do face, vim me falar que não vou comer mais ninguém, por conta deste vídeo, ou mesmo participar de grupos de whats e escreve e compartilhar barbaridades tratando as mulheres como objeto e no bar e na rua, paga de intelectual defensor do movimento feminista. São sobre estas atitudes que gostaria de conversar com vocês meus amigos. De homem para homem saca. De verdade, olhando nos olhos, sem personagem, sem a coisa do pego mais mulher que você, sem sou mais bonito, sem tenho carro, sou libertário, sou descolado e moderno. Minha grande questão aqui era entender quantos amigos meus, homens heterossexuais iria me procurar e me chamar para conversar de verdade. Nem sei se os termos usado hoje são estes mesmo, tem toda esta questão de gênero que acho importante, mas não sou aprofundado no assunto para falar algo. O que realmente me importa e quanto posso ganhar conhecimento com qualquer pessoa. Não estou livrando a minha barra não, sou o cara muito machista, muito mesmo. Só estou querendo de alguma forma iniciar uma conversar, entre meus amigos sobre isso. Na real nem foi o pondé que me alertou sobre isso, mas sim meu amigo Tulio Custódio e sua namorada a Stephanie Ribeiro em uma mesa redonda em um evento no começo do ano.

Outra coisa que me deixou bem incomodado e foi uma colocação que algumas amigas minhas negras tinham me falado e depois a falou também nesta mesa, é a grande diferença que existe entre uma feminista negra e uma feminista branca. Se entendi bem, pode ser que ela nem falou isso e eu entendi isso, mas tudo bem. Fiquei com isso na cabeça, Mesmo assim, não consigo me aprofundar e peço que procurem o Tulio Custódio e a que são muito mais gabaritados a falar sobre o assunto.

O que queria mesmo que saíssemos dos personagens do politicamente correto, para uma conversa de verdade, sem personagens algum. Sei que dos nossos olhos para dentro, só quem sabe, somos nos mesmo, mas vamos quebrar as barreiras que a cultura e sociedade implantaram e vamos tentar dar um passo maior, que seja para tentar conhecer outras pessoas, com outras opiniões. O que me incomodar de verdade é a não conversa, entre meus amigos, aqui no facebook, não tem nenhuma pessoa que não conheça pessoalmente e que não tenha trocado o oxigênio no mesmo ambiente. Logo alguma impressão eu tenho de vocês e vocês têm de mim.

O que me incomoda é que passou o dia o post na time e nenhum amigo homem me convidou para tomar uma e conversar de verdade. O resto continua fazendo a media com a sociedade, enquanto o mundo caminha para um buraco.

Então na real, isso é um convite, e ae, vamos conversar?

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.