De Milão para Maranello. Conhecendo a casa da Ferrari

Em Janeiro de 2018 fiz um intercâmbio na Inglaterra. Aproveitando a distância, facilidade e o baixo custo (companhias low-cost ❤) de viajar entre países da Europa, decidi viajar para Milão para realizar um sonho de infância, que era assistir um jogo do Milan no San Siro. Mas essa história fica pra depois ;)

Não há aeroporto em Maranello, então as únicas formas de chegar na cidade a partir de Milão são de trem ou carro. Como eu iria voltar no mesmo dia para Milão, e obviamente queria reduzir os custos, decidi ir de trem. Meu “roteiro” foi:

  • Aeroporto Malpensa
  • Milano Centrale
  • Modena
  • Maranello

Comprei os bilhetes aéreos pela EasyJet. O bilhete de ida era: Londres (Gatwick)/Milão (Malpensa), e o da volta: Milão (Linate)/Londres (Gatwick), paguei 60 euros pelos bilhetes, mas dá pra pagar mais barato pegando uma promoção ou viajando em dias da semana.

Depois de chegar no aeroporto por volta das 09h30, passei pela rápida imigração italiana, e às 10h15 já estava na porta do aeroporto esperando um shuttle para a estação central de Milão (Milano Centrale). O shuttle custou por volta de 7 euros. Logo que você passa pela imigração já há um stand vendendo esse bilhete. Cerca de 1 hora depois (devido ao trânsito), estava na estação.

Como e quando comprar os bilhetes do trem?

Também não há uma estação de trem em Maranello, então é preciso comprar bilhetes de Milão para Modena. De forma geral, bilhetes de trem na Itália são baratos, comprei os bilhetes na Trainline (recomendo muito, é uma revendedora direta mas com uma interface muito melhor que a do site da Trenitalia), com antecedência de dois meses, a ida e volta custaram 20 euros. Como havia deixado um tempo de segurança contando com possíveis atrasos no voo ou na imigração, comprei o bilhete de ida apenas para às 12h35, então deu tempo de almoçar na estação, que conta com bons restaurantes.

Trens (e qualquer tipo de transporte na Europa) são bem pontuais, sendo assim, 14h15 já estava em Modena. E aqui vai uma dica que vai te ajudar a economizar no transporte de Modena para Maranello:

A Ferrari tem um shuttle da estação de Modena para o museu em Maranello por apenas 12 euros (ida e volta), neste link tem a tabela com os horários. Porém, por culpa de uns 5 minutos até sair da estação, acabei perdendo o shuttle. Minha única opção então era ir de táxi, acabei pagando 30 euros (!!!) para chegar no museu em Maranello. Havia pesquisado antes e é o valor mais comum a se pagar, de qualquer forma, sempre pergunte para o taxista o preço da corrida antes de embarcar.

Maranello — A casa da Ferrari

Antes de ir para o museu, fiz um test-drive (um pouco mais rápido que o comum) na minha Ferrari favorita, a F430. É imprescindível dirigir uma Ferrari enquanto você estiver em Maranello! Os preços/modelos dessa diversão são de acordo com sua disponibilidade/gosto. Há diversos lugares que vendem test-drive, inclusive ao lado do próprio museu.

Escolhi a LivItaly Tours para fazer o test-drive porque era a única que ainda tinha a F430 disponível. Paguei 135 euros por 20 minutos, e valeu MUITO a pena! Eu pude acelerar o carro de verdade, além de ter incluso no preço: seguro, filmagem, ingresso para um simulador de F1 (dentro da própria agência) e um belo certificado de “pilotagem” do carro. O trajeto de vinte minutos passa em frente a fábrica da Ferrari, além de passar próximo a estrutura da Scuderia Ferrari. Recomendo e muito!

Depois disso, fui direto para o Museu. Na recepção já consegui comprar o bilhete do shuttle de volta para Modena por 6 euros.

Infelizmente não tirei muitas fotos porque estava um pouco doente por causa do inverno europeu (brasileiro acostumado com o calor, tudo normal), mas se quiser saber mais, aqui tem um post muito bom sobre o museu em si.

Fiquei por volta de 1h30 no museu, acredito que seja tempo suficiente para ler bastante e tirar fotos de todos os modelos expostos.

Peguei o shuttle já no estacionamento do museu, e uns quarenta minutos depois estava na estação de Modena esperando o trem para Milão. 1h45 minutos depois, chegava em Milano Centrale.

Resumindo, um bate-volta de Milão que valeu MUITO a pena! Talvez se eu chegasse mais cedo, poderia ter visitado lojas e o restaurante da marca (só visitado mesmo, já que os preços nesses lugares são BEM salgados, hehe). Se você quer visitar a cidade e não tem muito tempo, este post pode te ajudar, mas eu recomendo uma estadia um pouco maior na região para conseguir visitar também os museus da Lamborghini, Pagani e da própria Ferrari em Modena.