MADONNA: PODER, IMPACTO E HISTÓRIA

Em meio a clichês, fatos já estabelecidos e frases feitas, vamos reiterar porque Madonna é, no mínimo, incrível

PS: Nos nome “Madonna” estão links para você admirar alguns dos (maravilhosos) videoclipes dessa mulher incrível!

É simples de perceber e não precisa ser fã para afirmar isso: Madonna não é uma artista qualquer. Ela quem um Q a mais. Algo insubstituível e talvez algo inigualável.

Cantora faz 58 anos nesse dia 16/08

A Rainha do Pop — clichê — está completando 58 anos neste 16/08 e acho que ela deve está bem ciente de que o que já fez nesse mundo garante a ela um lugar na história que ninguém tira e que será marcada mais de glórias — e polêmicas — do que fatos ruins.

Madonna é a artista feminina mais bem sucedida de todos os tempos (Foto: Madonna Literal/Facebook)

Eu poderia listar números, dados, imagens, uma infinidade de coisas que a tornam grandiosa, mas acho que tudo o que eu por aqui será pouco. Será pouco diante do que ela se tornou. Sim, Madonna não é uma artista qualquer, muito menos uma pessoa qualquer. Parafraseando algo que vi em um documentário, Madonna não é uma pessoa, é uma marca. Eu diria mais: ela é uma persona.

É como se ela tivesse pegado o nome santo e maternal que possui — Madonna, é o nome da Virgem Maria em italiano — que originalmente vem da sua mãe e tornado algo único e distinto. Algo seu. Olhando a sua carreira por esse viés pode soar que ela tenha feito isso de caso pensado, mas acredito que não. Ela queria ser grande, deixou muito claro isso, mas ela se tornou maior. Como já disse, eu poderia apresentar inúmeros argumentos para mostrar o quão grande ela é, mas numa pesquisa rápida você pode notar o que vou dizer com toda a certeza: Madonna é uma das raras pessoas que saíram da vida para entrarem na história, sem precisar estar de fato morta. Ela é grande, viva e ativa.

Madonna é única mulher com arrecadação bilionária em turnês desde os anos 90 (Foto: Marvin Medeiros)

Não que eu despreze quem veio antes ou depois dela, quem se inspira nela ou afins, de forma alguma, mas para uma artista que não tem a melhor voz do mercado — não é vergonha dizer que Madonna não é uma Aretha, Whitney ou, atualmente, Adele no mundo da música, ela soube como contornar isso — ser a artista feminina solo mais bem sucedida de todos os tempos é um, entre tantos outros dados que só reforça o quão poderosa ela é.

Atualmente, em meio a tantas pessoas no mercado da música, lutando para estar nele ou se dando muito bem, eu agradeço por Madonna ter estado numa época muito mais sofrida ou mais difícil — caso o eufemismo lhe seja melhor, mas que a ajudou a ser quem é hoje.

“…agora é fácil ficar famoso. O que não é fácil é se desenvolver e crescer como um artista, sem se distrair ou ser consumido pela fama.”
(Madonna para a revista LOVE de Set/2016)

Como li de um grande fã dela, ela se empoderou quando isso nem era moda. E é verdade. Ela é poderosa, por que fez por onde, é grande porque trabalhou para isso, é uma força porque o que faz toma proporções épicas.

Em um mundo em que o ódio está voltando a tona no mais variados meios, Madonna permanece com o discurso o qual nunca abandonou: somos livres e devemos viver em harmonia com todos. Mais um ponto para a grandiosidade dela.

Por mais que a mídia tente achar a próxima Rainha do Pop, é indiscutível: o título é vitalício e pertence a Madonna. A idade chega, mas não a abate, lhe dá força, para acima de tudo continuar e nós, fãs ou admiradores, só podemos agradecer por vivermos num mundo onde Madonna está viva e ainda revolucionando.

Amém Madonna!

Johne