O político corrupto e a panela Tramontina

Estavam a sós a panela Tramontina e o político corrupto, acabavam de discutir e a panela Tramontina falou pro político corrupto num tom dramático: “Tenho que te confessar uma coisa.” O político corrupto, que já pegava o celular pra conferir o face, só virou a cabeça: “Pois é”, disse a panela Tramontina, “acho que não gosto mais de você como antes.” E começou a explicar sem nenhuma emoção o novo sentimento. O político corrupto ouvia em silêncio enquanto as lágrimas escorriam. “É isso”, encerrou a panela Tramontina, deixando a sala. O político corrupto ficou arrasado, enxugou o rosto, respirou fundo pra tentar pensar no que faria de agora em diante, acabou dando uma olhadinha no face que deixou aberto no celular: Cheque de 1 milhão da Andrade Gutierrez era para Temer, Serra recebeu 23 milhões de caixa dois da Odebrecht, Temer nomeia Jucá líder do governo no Congresso, Calero deixa o governo e acusa Geddel de pressioná-lo para liberar obra. “É brincadeira! É brincadeira!”, a panela Tramontina deu um salto e caiu no colo do político corrupto, beijando-o todo o rosto. Abraçaram-se com força, o político corrupto sorriu sem jeito: “Sabe”, disse, “eu não acreditei de verdade.”