O que não mereceu estar em 2016

Nem só de tristezas vivemos o ano de 2016 (que não tem nada a ver com esses acontecimentos, é só um número), apesar de qualquer feito da cultura pop não ter a dimensão e importância de tragédias ou mortes marcantes, mas nos fazem esquecer um pouco e acalentam aqueles corações que choraram demais no ano que passou.

Apesar da Warner… (Filmes)

Filmes já não é um algo que me acompanha durante o ano todo, quando um super-herói é o protagonista essa estatística diminui ainda mais, mas 2016 a coisa me chamou a atenção com Batman x Superman e o Esquadrão Suicida, porém deveria ter trocado os ingressos para ver Deadpool e Dr. Stranger… maldito hype. Mesmo que a Warner tenha me me feito de besta com seus blockbusters, houve sorrisos no cinema em 2016 e, ainda que não tenha visto os elogiados Capitão Fantástico e Animais Noturnos, eis o meu

Top Filmes de 2016:

  1. A Chegada
  2. Zootopia
  3. Rogue One
  4. Os Oito Odiados
  5. Capitão América 3: Guerra Civil
A Chegada: surpresa agradável de 2016

Netflix e HBO na Terra e deus no céu!

Desde 2011 temos um ano com Game of Thrones e é sempre naquele nível HBO de fazer as coisas, porém os caras não sabem brincar e depois de uma temporada memorável (e cheio de fan service, eu sei) de GoT tivemos a honra de conhecer Westworld e embarcar nesse universo que promete atrair os holofotes nos próximos anos do canal. Uma oportunidade que não deve se repetir é ter as duas séries no mesmo ano (2018 também há chances, mas o provável é que Westworld sofra com os adiamentos) e não precisar de The Walking Dead (aff) para encerrarmos nosso domingo com dignidade; Magnífica 70 também parece promissora, mas ainda não vi, está no Backlog de 2017.

Quem diria que em 2016 a Netflix bateria de frente com o gigante canal da TV Fechada, um ano com excelente temporadas de suas séries já consagradas (House of Cards, Demolidor e Narcos) e estreias incríveis de Stranger Things, Get Down, The OA e The Crown — a útima, aliás, venceu nada mais nada menos que Game of Thrones no Globo de Ouro. Stranger Things dispensa explicações, The OA chegou recentemente e vem causando muita discussão na internet (preciso terminar :/) e Get Down é a série para quem gosta de música, com um orçamento (10 fuckmilhões por episódio) que entregou uma ambientação fantástica dos anos 70 atrelada a uma história clichê mas empolgante.

Além dessas duas mineradoras de ouro das séries, tivemos How the Get Away With Murder e Mr. Robot com destaque em novas temporadas, além de The Walking Dead, que criou uma expectativa enorme mas acabou com uma temporada bem parecida com o ano de 2016: bem bosta.

Top Séries 2016:

  1. Get Down — 1ª Temporada (Netflix)
  2. Game of Thrones — 6ª Temporada (HBO)
  3. Stranger Things — 1ª Temporada (Netflix)
  4. House of Cards — 4ª Temporada (Netflix)
  5. Love — 1ª Temporada (Netflix)

Quem te viu quem te vê

A ano nos video-games pode não ter sido um dos melhores, mas tivemos muitas novidades durante 2016 e algumas muito boas e supreendentes. Primeiro com o “joguinho de FPS da Blizzard” que estourou logo no lançamento e só cresceu até então, Overwatch é apenas online, mas entrega uma experiência sem igual e consegue atingir tanto o jogador casual que só apanha no multi (eu) até os profissionais que vivem do competitivo, com forte apoio da Blizzard em campeonatos mundiais. Não foi à toa que Overwatch levou diversos prêmios em 2016 (um deles o de GOTY no TGA) e promete sobreviver muitos anos com atualização e eventos para o jogador.

Mesmo com seus jogos anuais, a Eletronic Arts foi uma empresa de destaque em 2016, com Titanfall 2, Battlefield 1 e FIFA 17 a EA mostrou que às vezes aparecem lampejos de criatividade. Titanfall melhorou muito o primeiro, com um online bem estrutura e um modo história honesto para a franquia, ficou em posição de destaque na maioria das premiações; Battlefield 1 trouxe outra cara para jogos FPS, mostrando o lado real da guerra e entregando o melhor online dos jogos do gênero, tudo isso com gráficos impecáveis, som ambiente inacreditável e jogabilidade muito fluída; FIFA 17 já chegou cagando para os nós, sem licença do Brasileirão e com o preço de R$250 até 2 meses depois do lançamento, mas o Modo Journey salvou a franquia esse ano, trazendo uma ótima história de jogador de futebol e conseguindo transmitir todo o sentimento durante a aventura para o jogador, experiência fundamental para quem gosta do esporte.

Overwatch com certeza foi o jogo que mais joguei esse ano

Milagres aconteceram em 2016 e logo DOIS no mesmo ano, The Last Guardian e Final Fantasy XV foram finalmente lançados e fizeram a espera valer a pena. Outro grande destaque foi Uncharted 4, considerado o jogo mais bonito da geração até aqui, como se já não bastasse, a história de encerramento desse ciclo de Drake também é algo para se elogiar. Os indies invadiram os consoles nesse ano e deu um passo tremendo no espaço divido com os AAA, Inside (indicado a Game of the Year), Firewatch e Stardew Valley foram os grandes destaques.

Uma empresa que não teve muitos jogos em 2016 mas conseguiu um espaço de destaque foi a Nintendo, expandindo a marca de Pokémon, mostrando seu próximo grande console e marcando presença com sua marca em grandes eventos. Agora só em 2017 saberemos se todo esse investimento teve um retorno e se o Switch, enfim, vai colocar a Big N no topo de novo.

Top Jogos de 2016:

  1. Uncharted 4: A Thiefs End (PS4)
  2. Overwatch (PS4/X1/PC)
  3. Gears of War 4 (X1/PC)
  4. Stardew Valley (PS4/X1/PC)
  5. The Last Guardian (PS4)

Muita coisa legal aconteceu em 2016, mas é difícil lembrar quando você não tem algo registrado, provável que o Top de 2017 será mais justo e mais equilibrado.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.