Diálogo com meu antigo apartamento

Me mudei recentemente, coisas da vida, coisas que a deixam ainda mais apaixonante e que me fazem me sentir humano e ainda mais vivo. Nessa vida precisamos dizer adeus, encerrar ciclos e saltar do penhasco com a certeza de voar mais alto. Já havia apagado as luzes do meu antigo apartamento. Ele estava dormindo e que quieto ficou. Hoje pela manhã voltei lá, era preciso retirar os pertences que sobraram, fechar a porta e entregar as chaves.

Enquanto varria e recolhia meus últimos pertences ele me disse:

  • Já vais?
  • Sim, amigo, preciso seguir meu rumo.
  • Boa sorte na tua caminhada, companheiro.
  • Branco apartamento, obrigado -disse a ele- muito obrigado por me acolher nas horas difíceis, me proteger do frio, me refrescar no calor,me manter seco nos dias de chuva, embalar meus risos, abraçar meus prantos. Quantas vezes revoltado gritei contigo e você permaneceu quieto e branco, sem demonstrar desconcerto, assim eu me recompunha?-Amigo, espero que quem venha habitar-te te cuide muito mais do que eu te cuidei e que seja tão feliz, ou mais, quanto eu fui em ti.
  • Vida longa e próspera — me disse ele — voltas ainda?
  • Talvez, amanhã o agente imobiliário vem te visitar, se estiver tudo ok não voltarei a ver-te amigo.
  • E o que digo ao agente?
  • Ignore os furos em tuas paredes e os riscos no chão, diga que está tudo bem, afinal, de fato, está. Felicidades e solidez amigo!
  • Coragem, companheiro! Adeus!

Com lágrimas nos olhos, olhando para ele, juntei minhas coisas, chaveei pela última vez sua porta e saí.

Like what you read? Give BaraldoM a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.