o retorno de saturno

Nasa Galleries

Os místicos exaltam que nossas vidas passam constantemente por ciclos, que se rodam entre nós grandes e volumosas estrelas quentes-frias que circularam em seu passeio pelo infinito e que nos dão ordem e significância. Crêem com total magia na mais exata colocação desses cosmos longínquos — provedores de energias e outras feitiçarias — e que, assim, modificam caracteres tão íntimos e tão nossos na qual não há esclarecimentos palpáveis que os duvidaria.

Estes místico carregam grandes tabelas, cheias de luas, planetas e números; colocam sobre círculos linhas cruzadas vermelhas e azuis que transfiguram o negativo e positivo latente; olham com avidez e perguntam datas específicas, dando risadinhas ou penosas afirmações-de-cabeça dependendo do resultado obtido; eles cantam em voz grave, falam sobre pormenores e pesam cada mínima ação que lhes atingem:

— Você tem imprudência de ariano, carência de Câncer e aventurança de Sagitário. Não diria que cabe qualquer elemento Terra em seu Mapa. Tampouco se tirar nas cartas. Aposto que Júpiter não estava bem alinhado quando nasceu, por isso age dessa forma, impulsiva.

Normalmente são pessoas sem faces marcadas (pois podem ser qualquer um dentre nós) e não levam mais aqueles longos mantos (os deixaram na Idade Média). Falam seriamente e ficam aflitos se são cortados com as duras afirmações que questionam suas crenças. Fazem caretas quando encontram nascidos entre Abril / Maio e bufam longamente quando lhe comentam Inferno Astral é uma bobagem!

De todos os mínimos males sociais que podem causar, são, antes de tudo, esperançosos. Acredito que buscam coisas fora da ciência tecno-teofóbica e colocam muita importância pelo modo de ser como são — uma justificativa muito válida para o auto-acolhimento. São, assim, curiosos pelas grandes bolas gasosas que rondam nossas cabeças e que modificam desde as mares até os nossos humores.

De toda a curiosidade que lhes cabe à parte, chega nessa época festiva uma novidade: o gigante de hidrogênio volta a nos reger. Somos agora frutos das energias de Saturno e, assim, ficaremos por mais uns bons 36 anos. Tanto tempo e o que mudará? Os místicos alegam que muito ficará mais fácil, novos tempos de desenvolvimento social, procuraremos novos campos de atuação, equilíbrio, equilíbrio, finanças voltarão a ser salvas, toda uma fase de crescimento da sociedade e etcetera e tal.

Em mim fica um quê resguardado, mas nestes místicos fica uma fanfarra.

(Texto inicialmente postado em janeiro no meu blog Mundo da Lua)