Como foi o seu dia?

Ontem durante a leitura do livro Tribos, um trecho em particular me chamou a atenção. O ponto abordado é trabalho e paixão. O livro é escrito por Seth Godin, autor de diversos best sellers.


“São quatro da manhã e eu não consigo dormir. Então me sento no lobby de um hotel na Jamaica, e checo meus e-mails.

Um casal passa por mim, obviamente a caminho do quarto, tendo levado a ideia de férias um pouco a sério demais. A mulher olha pra mim e, um sussurro áspero um pouco mais baixo que um grito, diz para o seu amigo: “Não é triste? Aquele homem vem aqui para passar férias e está preso chegando os seus e-mails. Ele não pode sequer curtir umas duas semanas de folga.”

Eu acho que a verdadeira pergunta — aquela que eles provavelmente não iriam querer responder — era: “Não é triste, que nós tenhamos um emprego onde gastamos duas semanas evitando as coisas que temos que fazer cinquenta semanas por ano?

Eu levei bastante tempo para descobrir por que eu estava tão feliz por estar checando meus e-mails no meio da noite. Isso tinha a ver com paixão. Não havia nada além de dormir que eu preferia estar fazendo naquele momento — por que eu tenho sorte suficiente de ter um trabalho onde eu consigo fazer mudanças acontecerem. Mesmo não tendo muitas pessoas trabalhando pra mim, eu estou em um negócio onde se deve liderar pessoas, levá-las a um lugar onde queremos ir.

Por outro lado, a maioria das pessoas tem empregos (no momento) onde elas lutam contra a mudança, onde elas fazem hora extra para defender o status quo. Isso é exaustivo. manter um sistema a despeito da mudança irá esmagá-lo.

Pense por um segundo sobre as pessoas que você conhece e que estão engajadas, satisfeitas e ansiosas para trabalhar. A maioria delas, eu aposto, fazem mudanças. Elas desafiam o status quo e movem algo para frente — algo no qual elas acreditam. Elas lideram.

“A vida é muito curta” é repetido o suficiente para ser um clichê, mas desta vez é verdade. Você não tem tempo suficiente para ser infeliz e medíocre. Isso não é apenas absurdo, é doloroso”


O trecho é direto, não cabe complementos nem observações. E sobre o livro, recomendo que você comece a ler o quanto antes.