A Resistência

Saqueados por canalhas, acordei com os sons das balas. Tudo que eu queria era uma noite de paz, viajar pelas colinas da liberdade, sem ser encurralado por um bando de engravatados. Levaram tudo que eu tinha, prometeram ajudar, uma semana depois voltaram a cobrar o custo do morar. O domo formado aprisiona os alienados, o império da mentira transmite por sua tela a tirania. Assim sufocando até o pensar, abortando à sabedoria, naturalmente se implantou à idiocracia.

Escravos da sua própria ignorância. Só sentirão o verdadeiro golpe quando o oceano afundar os barcos. Caminhando todos de mão dadas ao caminho do abismo. Não! Estou fora! Abandonei este teatro.

A massa de manobra, o eco da mídia, tentam ser maioria, mas são à minoria. Os questione e logo eles se desmantelam sozinhos, é um edifício sem estruturas feito apenas de chavões e falsidade. A janela de overton semanalmente na sua casa, levando a ilusão da opinião de “dois”, imprimem como se fosse da multidão. É preciso exterminar os parasitas.