Felizes para sempre, para quem?

Engraçado que parar no médium para envolver uma questão pessoal, normalmente eu escrevo sobre convergência midiática, Youtube e afins relacionados a tecnologia, mas eu queria fazer uma pequena reflexão dos contos e narrativas empregados nos filmes da Disney e em diversas histórias. Não me sinto preparado para definir o conceito de amor, fidelidade, até porque não é algo que no século XXI que é perceptível.

Somos condicionados, acomodados e pressionados durante a infância que a bela princesa ou o formoso príncipe vai aparecer e após diversas adversidades chegariam o famoso “felizes para sempre”, deve ser esse motivo que que após essa frase qualquer conteúdo não é continuado e será que a bela adormecida, Cinderela, as brancas de neve continuaram juntos? O que aconteceu após? onde está a felicidade após o para sempre? e porque o para sempre não aparece? A resposta é simples, o melhor momento da relação de qualquer produto cinematográfico foi aquele momento.

As coisas podem ser tão momentâneas, as pessoas, suas amizades, seus amores, a vida é momentânea, a fração de tempo comparado a existência do universo com o planeta terra é comparado como um piscar de olhos. A mensagem é valorizar o seu presente, a ideia do texto não é uma critica motivacional, é instigar a quem ler o real sentido do que somos obrigados a consumir pela mídia.

Portanto precisamos aproveitar cada movimento dos silos, desde um olhar até um olá tudo bem, você está bem, você precisa de algo, de ajuda? Eu gosto de você, está tudo bem ou qualquer mensagem melosa ou de importância, pois um dia infelizmente pode ser tarde demais ou essa pessoa pode ter partido ou desta vida ou de sua própria vida e você fica como eu estou neste momento pensando, felizes para sempre, para quem? Eu, estou preferindo ser feliz agora.

Jordan Veloso,

11 de março de 2017

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Jordan Veloso’s story.