Mão, te amo

Levita nossa mão, que não é nossa;

Carpos entrelaçados, sonhos unidos

Fileiras de harmonia

Trapézios, trapezoides,

Grande osso, unciforme,

Obrigado, Senhor…

Acorda metacarpo, acorda

Esqueleto que nos abraça,

Palma de aplauso,

De água bendita que escorrega

E flui, flui, flui

Da finalidade da firmeza,

Gratidão, meu Pai…

Toquem trombetas,

Carícia de polegares;

Batuquem, tambores,

Mimo de indicadores;

Soem, guitarras,

Anúncio dos médios;

Vibrem, violinos,

Anulares se desgarrando

Ataquem pianos,

Lágrima de auriculares…

Ode às mãos

Que nos dão vida

A diário

MUITO OBRIGADO

Like what you read? Give Jorge Fernando Schulman a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.