Lilian Vogel encanta universitários com a cultura regional

texto e foto Adriano Pinheiro

Dando prosseguimento ao ciclo de palestras do PIJ — Projeto Integrado de Jornalismo–, em parceria com Abraço Cultural, ocorreu na noite de 13 de setembro, no auditório da FAAT Faculdades, palestra com a historiadora Lilian Vogel, que abordou o tema “O Encantamento na Cultura Tradicional — Um olhar especial para a tradição”.

Na abertura do evento, o coordenador do Curso de Jornalismo, professor Osni Dias, explanou sobre a importância do projeto e da felicidade em ver jovens de diversos cursos reunidos para um amplo debate. “ Isso é universidade, trazer a sociedade para dentro do campus e levar os frutos deste conhecimento até a sociedade”, ressaltou.

O projeto tem como objetivo principal levar aos universitários a oportunidade de reflexão sobre as memórias de suas cidades, bem como um momento de discussão sobre o tema, gerando conhecimento e produtos midiáticos.

Ao iniciar sua fala, Lilian disse aos universitários que sua palestra daria a eles a oportunidade de olhar para a tradição com mais carinho. “Temos que olhar a tradição o folclore com encantamento, carinho e sentimentos”. Vogel ainda salientou: “quando falamos de tradições, falamos de pessoas e seus ensinamentos, seus modos, costumes. E ensinamos nossos filhos e netos com a nossa religião, seus ritos, músicas e danças”.

Cultura Religiosa

Silenciosos e atentos às palavras da palestrante, os acadêmicos de Artes Visuais e de Jornalismo conheceram um pouco mais do sincretismo religioso da região bragantina e suas nuances. Lilian lembrou dos grupos religiosos como as Congadas, a Dança dos Caiapós e lembrou ainda dos Bonecões de Zé Pereira, que embora não seja ligado a religião, tenha sido utilizado, historicamente, em eventos religiosos.

A identificação dos universitários ficou explícita quando a palestrante explanou sobre as festas realizadas na região: festas juninas, festas em homenagem aos santos — comumente frequentados por todos. Romarias a pé, ciclísticas e nas águas ilustraram a cultura religiosa da região sul mineira.