Ser mãe preta é…
Luciana Bento
51

Luciana, o racismo cria um contexto de hostilidade permanente para nossa comunidade, e é louco pensar na força que as famílias precisam ter para a manutenção das suas continuidades. Fiquei pensando em todos os fatores que o seu texto aponta, e na complexidade de dar conta de todos eles quando não pertencemos a uma comunidade que nos dê sustentação e acalanto.

Por isso penso que, para além da “militância tradicional”, é fundamental reunirmo-nos para celebrar a amizade, para celebrarmos a comunidade, para que as nossas crianças encontrem seus pares e tenham possibilidade de sociabilidades enegrecidas para além das escolas e outros espaços institucionais. Para que tenhamos nossos espaços de educação comunitária, social, afrocentrada na forma de Ser. Obrigado pelo forte texto!

Like what you read? Give José Evaristo S. Netto a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.