O curso de memorização que mudou minha vida

As escolhas da vida

Pode soar sentimental demais, mas escrevo este artigo falando do fundo do meu coração. Se a vida de uma pessoa for alterada tendo por motivação inicial este artigo, então tê-lo escrito já vai ter valido a pena.

Não costumo fazer anúncios de coisa alguma, mas em um país como o Brasil onde poucas coisas funcionam, eu faço questão que propagar algo que pode mudar a vida de um brasileiro como mudei a minha vida, uma ferramenta de aprendizado fantástica, que merece ser compartilhada, pois caso contrário, seria egoísmo ou negligência.

Eu acredito que existem livros clássicos de escritores que possuem o poder de alterar o curso de vida de uma pessoa, quando bem aplicadas suas técnicas, como Anthony Robbins com seu “Poder sem Limites”, ou Dale Carnegie, com o seu “Como fazer amigos e influenciar pessoas”.

Também posso afirmar com certeza absoluta que existem cursos que podem mudar vidas. Este artigo é para falar sobre um curso de memorização que alterou o curso da minha vida, modificando e acelerando a forma do meu aprendizado.

Este curso de estudo e memorização do qual irei falar mudou totalmente a forma como memorizar melhor os estudos e principalmente como não esquecer o que estudei.

Quando eu era muito “jovem”

Eu não pensava que seria muita coisa na vida. Não me que atualmente eu me considere muita coisa, mas acredito que fui contra as expectativas que estavam contra mim.

Sempre estudando em escola pública, morava no interior do Paraná, em uma cidade pequena, chamada Medianeira. Lembro no colégio de comer em prato e talheres azuis de plástico, onde estava escrito FUNDEPAR( Instituto Paranaense de Desenvolvimento Educacional).

Lembro de meu pai limitando meus sonhos, dizendo que eu não era “filhinho de papai” pra fazer isto ou aquilo, que não ia fazer aquele cursinho Kumon, ou judô, karatê, natação.

Que aquelas coisas não eram pra mim. Lembro também alguns anos mais tarde, meu pai me perguntando “quem ia pagar a faculdade que você quer fazer? por que eu não tenho dinheiro”.

Não se deixe enganar, a relação com meu pai é excelente, era a época complicada e a forma de lidar com a dificuldade naquele tempo que fazia os pais serem assim no passado.

Porém, decidi que com meus filhos não seria daquela forma, que faria tudo e mais um pouco para poder prover tudo a minha família, quando tivesse uma, e que nunca limitaria os sonhos deles.

É isto que eu quis dizer em um dos parágrafos anteriores sobre “ir contra as expectativas”.

O estudo e aprendizado como fuga

Existe aquela velha máxima: se você não nasceu rico, não casou com rico, não ganhou na Mega Sena, não nasceu com algum dom especial, como ser jogador de futebol ou modelo de beleza com sucesso, infelizmente (ou felizmente) o caminho “das pedras” para melhorar de vida, financeiramente falando, é através do estudo.

Iniciei a faculdade pública federal em um curso que eu não queria, mas era pouco concorrido, em 1999. Não deu pra fazer na época o curso que eu desejava, pois era pago. Paciência.

Após formado em 2004, Cadê o emprego? Não tinha vaga nenhuma e quando tinha alguma coisa era subemprego, em indústrias, ganhando uma miséria e trabalhando inclusive aos sábados.

Faz muito tempo, então não me lembro exatamente como, mas cheguei a conclusão que concurso público, na época, poderia ser a forma mais rápida de atingir o objetivo de desfrutar de uma vida financeira estável e segura.

Lembro que todo mundo falava de concursos, mais até que se fala atualmente. Todos tinham uma história de algum parente que era concursado e estava super bem de vida. Todos na faculdade Cefet falavam de ser professor. Ser concursado. Era pura admiração.

Então iniciei minha jornada sendo concurseiro. Fiz Copel (Companhia de Energia do Paraná), Sanepar (Companhia de Água do Paraná), Secretaria de Educação, Ministério Público, TRT, INSS, além de vários outros concursos de prefeituras próximas a minha cidade.

A história era sempre a mesma. Muitas horas de estudo mas não conseguia nem me classificar para a maioria dos concursos. Gastava comprando material de banquinha de jornal para ver os editais que lançavam, comprava material de estudo, gastava uma nota.

Eu lecionava informática básica em uma escolinha da minha cidade. Ganhava muito pouco para comprar estes materiais e bancar a gasolina que dividia com amigos concurseiros, que fariam o trajeto para os concursos também.

O curso de memorização divisor de águas

Depois de um tempo realizando concursos públicos, é normal começar a se perguntar se havia algum segredo para melhorar performance, pois não era possível me esforçar tanto, estudar horas a fio e não ter um mínimo de resultado.

Eu não era um gênio mas também não era um burro. Sabia que tinha muita gente pior que eu, que faziam concurso só pra fazer, para “tentar a sorte, vai que passa”.

Então comecei a pesquisar sobre o assunto, vi algumas técnicas de estudo e memorização, técnicas mnemônicas, algo como fazer músicas para decorar e criar siglas para fixar o estudo, como memorizar lei e como memorizar matéria de concurso. Também se falava muito de Mapas mentais naquela época.

Tendo esta curiosidade como motivação, fui aos limites pra realizar meu sonho.

Surgiu a história de suplementos (Creatina, pois é, não é apenas para musculação!) e principalmente um medicamento (Ritalina) que ajudavam a estudar.

O resultado de testar a Ritalina foi parar na emergência para tomar Diazepam na veia para acalmar de uma crise de ansiedade/pânico advindo do efeito colateral.

Então, houve um divisor de águas nessa história toda de concursos.

Esse tal de Power Memory realmente funciona ?

Lembro que frequentava vários “sites de concurseiro” e no mais famoso a época (PCI Concursos) alguém pediu se conheciam um tal de Power memory exames, que era um curso de memorizacao e contava que tinha tido resultados excelentes blá blá blá.

Comecei acessando o site que me lembro era meio esquisito. De início não botei muita fé. Vi alguns vídeos das tecnicas de memorizacao.

Foi meu primeiro contato com excêntrico Richard Abraham e seu sotaque. Confesso que não acreditei muito pois o site forçava um pouco nas propagandas, era quase como uma fórmula milagrosa que ofereciam e eu andava cético.

Além disso, nas minhas condições naquela época, não podia pagar cursos preparatórios e pensava ser caro usar na época R$ 150,00 do meu orçamento para este curso também.

Assim como diz o ditado que não existe “almoço grátis”, também não havia curso de memorização gratis.

Lembro que meu salário de professor de informática variava entre algo como R$ 400,00 a R$ 600,000 e que sempre atrasava e eram pagos conforme os alunos pagavam as mensalidades.

De conteúdo em conteúdo na Internet, li sobre os casos famosos de técnicas de aprendizado como era o caso deste cusro de memorizacao ensinando como memorizar melhor e me recordo que nem sabia que existiam tecnologia para aperfeiçoar os estudos.

Tinha o caso da Boeing, que com seu mapa mental criado para ensinara memória de seus pilotos, era utilizado para que novos engenheiros aeronáuticos aprendessem, em algumas semanas, o que antes levaria anos.

Também se falava muito em leitura dinâmica e como esta técnica ajudava a assimilar o conteúdo a ser estudado rapidamente.

Lembro também que li sobre o método Rosetta Stone, que era um método de aprendizado de Inglês utilizando a forma como os bebês aprendem, baseado em atenção e observação.

Aprendi muito sobre tecnologias de aprendizado nesta época, vi que não era palhaçada, e resolvi dar uma chance ao Power Memory.

O curso de memorização deu algum resultado ?

A palavra é eficiência. “Aprender a aprender”, é acelerar o seu desempenho.

O que as técnicas de aprendizado do curso te ensinam é como usar a psicologia do nosso cérebro para transformar conteúdos complexos em conteúdos com muitos símbolos, mnemônicas, muitas imagens mentais, não tem como não funcionar. Um exemplo rápido que me veio a memória, que usei para os concursos:

Lei 8.069, Código da Criança e do Adolescente — para decorar: Eu era adolescente na década de (80) e só pensava em sexo (69).

Parece bobo, mas lembro desta informação mais de dez anos depois, tenho certeza que vai ficar na memória de vocês também.

O primeiro BAQUE, que te deixa curioso e demonstra que realmente as técnicas de aprendizado podem funcionar vem após um exercício prático onde o escritor/professor te ensina a decorar o nome de 15 livros do Jorge Amado, em menos de 3 minutos, pelo método da jornada mental.

Ninguém acredita que é capaz, eu não acreditava. Em poucos minutos de curso já ter um resultado deste é como ter uma marreta para desconstruir um conteúdo ao invés de ir batendo com um martelinho, insistindo na repetição.

É afiar o machado antes de sair para cortar uma floresta inteira.

Depois de comprar o curso para aprender as técnicas de memorização, resumia em fichas com a informação que estudava, dividindo em pequenos “módulos”, guardava na cabeça e depois revisava periodicamente.

Aqui também vale lembrar que eu utilizava algumas técnicas de leitura dinâmica para vencer os conteúdos mais rapidamente, mas era mais uma perfumaria, o essencial mesmo era a redução drástica do conteúdo que fazia a diferença.

Ia fazendo isso com todo conteúdo. Quando eu me dava conta, já tinha estudado o “grosso” do conteúdo todo da matéria complexa.

Algo importante que é preciso enfatizar: É necessário aprender a utilizar no MÍNIMO duas técnicas: O Alfabeto Fonético para criar os mnemônicos e o método das Jornadas mentais.

Pessoal, mas olha como eu explico neste post

Não adianta só comprar o curso!

Tem um pouco de magia esta forma de aprendizado pois acaba com o que aprendemos no Colégio, que é querer colocar as informações na cabeça via repetição.

Não é assim que o cérebro aprende! Precisamos transformar os conteúdos complexos em símbolos, e é aí que o curso faz sim o que promete, te ajuda a aprender em poucos minutos o que antes você levava até uma hora.

A única repetição que você terá, é a repetição das revisões do conteúdo resumido, e em menos quantidades, seguindo a curva do esquecimento de Ebbinghaus.

O Curso Power Memory Exames realmente funciona ?

Indo direto ao assunto, quais foram os resultados nos primeiros concursos após utilizar as técnicas da metodologia do Power Memory Exames?:

Aprovado para Assistente Administrativo na Prefeitura de Medianeira. Meu salário aumentou consideravelmente, pois eu ganhava muito pouco, mas ainda era muito baixo.

Fiz então o concurso para a Secretaria de Estado da Segurança Pública e Administração Penitenciária do Paraná (SESP/PR), para trabalhar com jovens em conflito com a lei.

Passei na colocação 25 dentre 3.000 inscritos para a região de Foz do Iguaçu. Fiquei revoltado por ter reprovado no teste psicológico, pois iria ganhar três vezes meu salário contando com um adicional de periculosidade que o servidor recebia.

Depois dei graças a Deus por ter reprovado neste teste, pois das pessoas que fizeram as visitas nos complexos, onde os jovens estavam internados, na fase posterior, mais da metade resolveram não aceitar a vaga pois parecia extremamente perigoso.

Tentei dois concursos federais no CEFET, atualmente UTFPR, passei em dois deles, um como assistente em Administração e outro como Analista de Laboratório de Química, que pude ser investido por ter graduação em curso que habilitava para este cargo (Tecnólogo em Alimentos).

Trabalhei quase 2 anos como concursado no CEFET. Nesse momento eu já considerava que tinha um salário bom e estacionei com os estudos. Algum tempo depois, voltei a perseguir meu grande sonho que era passar em um tribunal federal, como Analista ou Técnico Judiciário.

Este dia chegou. Às 11h00 da manhã de uma de segunda-feira, quando liberaram o resultado no site, vi meu nome dentre os 11 primeiros colocados para uma vaga no TRE Paraná 9a Região.

Só quem passou pela sensação de abrir um site com os nomes de aprovados em concursos e ver o seu nome sabe do que falo. Lembro até hoje da minha reação a ficar gritando YES, YES, YES!.

Quanto a vida de servidor público estável, por incrível que pareça, não era o que eu esperava. Eu sempre tive uma “pulga” para ficar trabalhando tempo demais na mesma rotina.

Em 2010, um amigo meu, trabalhando em uma multinacional Espanhola, cogitou meu nome para trabalhar com consultoria, em uma empresa que me traria dentre outras coisas, experiência em outros países.

Eu aceitei o desafio e me desliguei do Tribunal no mesmo ano. O que muitos não contam sobre os cargos públicos é que para “subir” no cargo, mesmo investindo em curso de línguas, especializações, cursos de extensão, o seu cargo permanecia igual, no máximo conseguiria uma chefia por função gratificada. É a vida para muitos, mas não foi para mim.

Simplesmente depois de uns 3 anos não há mais para onde “subir”, você acaba ficando estagnado, ou passa em outro concurso.

Como as técnicas do método de memorização Power Memory me auxiliam até hoje

Eu não sou um guru nem os cargos em meus concursos foram excepcionais como são as carreiras para Juízes Federais, Analistas da Receita Federal nem nada do tipo.

Mas, contrariando as apostas, consegui uma vida muito confortável no decorrer da minha história e não tenho dúvida alguma que a mudança foi relacionada ao meu esforço pessoal e ao método do Power Memory Exames.

Não adianta tentar derrubar uma floresta inteira usando um machado cego, é preciso afiar o machado.

A ideia central deste texto foi apenas ter deixado claro que você consegue no mínimo triplicar seu rendimento acadêmico, profissional, ou qualquer outra atividade onde necessite aprender melhor e com mais velocidade.

Este curso de memorização pode sim alterar o curso da sua vida, querendo você utilizá-lo para ENEM, concursos públicos, vestibular ou vida profissional.

Não é só pra concursos.

Qualquer conteúdo complexo massivo e que precisa ser aprendido rapidamente pode ser melhor assimilado utilizando o método deste curso de memorização.

Atualmente ajudo meus filhos deixando o estudo deles mais divertido e utilizo as técnicas no meu trabalho.

Uso diariamente o método pois como estou atualmente realizando treinamentos e apresentações aos clientes, preciso assimilar, compreender e replicar aos clientes e público interno da empresa conteúdos complexos, com prazos extremamente agressivos.

Se eu pudesse voltar no tempo seria uma das dicas que eu me daria.

Será o dinheiro mais bem gasto da sua vida toda, e para mim apenas peço volte a este artigo, se ele tiver te ajudado, deixando seu testemunho e compartilhe ajudando o sonhos de alguém que conheça estar precisando impactar sua vida aprendendo melhor.

Deixo o link abaixo caso queiram conhecer a ferramenta que é um curso de memorização que te ajuda, com técnicas de memorização a aprender a aprender.

Power Memory Exames

Para saber mais sobre nossos infoprodutos, acesse o nosso site.

Obrigado.