O que é o sucesso?

É um objetivo conquistado. É a meta alcançada. É a realização de um sonho. É o atingir de determinados pontos ou cenários que devemos ou queremos alcançar em vida.

É o alcance de um desejo. São sorrisos, são lágrimas, são momentos de felicidade em que o reino da incerteza e do fracasso desaparecem. É o topo que queremos chegar. É a satisfação plena. É o olhar carinhoso da mãe. É o olhar seguro do pai. São os olhares coloridos dos irmãos. É o olhar de seu amigo, amiga plena de convicção e da realização de seu sonho. É um agradecimento pelo seu esforço.

Bem, sucesso é diferente de fama. Fama pode ser breve, passageira, efêmera. Um sonho de uma noite de verão. A fama vai e vêm. A fama chega como uma fumaça e dissipa rapidamente. Evapora como etéreos sonhos. Na fama, os nomes, as pessoas são esquecidas, ignoradas, enterradas no pó da própria nulidade após um tempo. Esses nomes, com certeza, não vão ecoar na imortalidade. São passageiros.

Quanto ao sucesso exige certos requisitos básicos: dedicação, autoestima, autoconfiança e segurança, entre outros.

Como está a sua dedicação?

Como está a sua autoestima?

Como está a sua autoconfiança?

Como está a sua segurança?

Do que se espera de um grande escritor? Como afirma Stephen King, exige muita leitura e muita escrita. Exige experiências alegres e tristes. Exige emoção e razão. Exige disciplina e inspiração. Exige amor e um toque sublime de Deus.

Um grande professor? Exige espiritualidade e um encanto nas palavras. Exige o olhar generoso e de servir. Exige a força de vontade, motivação e empenho. É uma magia o ato de ensinar. É um feitiço. É um dom. É um encantamento.

Um grande artista? Seres agraciados com habilidades artísticas inerentes. Artistas que sonham, viajam em novas dimensões. A 
 Arte pode tomar a forma de uma pintura, fotografia, escrita, webdesign, culinária, trabalho em madeira, restauração de carro ou qualquer outra forma imaginável.

Um grande esportista? Garrincha tinha técnica e desprendimento. Chamou de João cada zagueiro que entortou na Copa de 1962. Ele ganhou a Copa, não sozinho, mas foi o brilho necessário para a conquista. Ele tinha confiança e segurança em si.

Senna que foi chamado de “sujo” por Piquet, com um carro lento e sangue nos olhos, tornou-se um mito. Infelizmente, a sua morte trágica apagou, repentinamente, a genialidade e reverência que merece todos os dias de domingo quando temos F-1. Um verdadeiro herói. Era um homem de fibra, ambicioso, com muita intensidade e a incrível capacidade de sonhar, de ir além dos limites.

Gustavo Kuerten, eficiente em rebatidas de bola, derrotou uma lenda espanhola e se tornou o rei de Rolland Garros. Um jovem que triunfou mesmo diante das dificuldades e desafios. Sem ser completo em todos os requisitos, aperfeiçoou os seus voleios e no que era necessário para vencer no saibro.

Gabriel Medina, com 16 anos, atropelou todos seus adversários, em seu primeiro ano. Venceu a primeira vitória na carreira na divisão máxima. Kelly Slater, considerado o maior surfista da história, rendeu-se ao jovem Medina com um inovador repertório de manobras aéreas. Logo, Medina se tornou campeão.

Esses e outros exemplos servem para nós continuarmos. Não desistirmos. Lutarmos. Estamos vivos e a peleja deve continuar. Atrás de nossos sonhos e novas estrelas para o nosso céu.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.