Em cada esquina dessa cidade

Tem alguém querendo ser Bukowski

Com tanto escritor russo

Com tanto poeta português

E tanto contista peruano

Todo um exército de jovens quebrados

Escolheu ser original imitando o velho Buk

Com suas camisas brancas e suas calças surradas

Seu cigarro amassado

Presos em empregos ruins, mas que pagam as contas

Presos em amores ruins, mas que enchem as camas

Presos em velhos clichês, em tristezas requentadas

Sem querer sair

“Você não compreende a minha dor”

“Você não compreende a minha arte”

E repetem os mesmo velhos textos

Assinados com pseudônimos variados

Os mesmos temas, as mesmas bebidas baratas

Quando se pode ser Saramago

Quando se pode ser Espanca

Quando se pode ser Man(o)uel

De Barros ou Bandeira

Todo mundo quer ser Bukowski

E eu nem gosto de Bukowski

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.