Uma conversa pra entender Bitcoin em 7 minutos

Me explica o que é esse tal de Bitcoin que todo mundo não para de falar sobre.

– Então, Bitcoin é uma moeda digital que foi criada por Satoshi Nakamoto na época da crise financeira de 2008.

Satoshi Nakamoto, é um japonês?

– Na verdade, até hoje ninguém sabe. Pode ser uma pessoa com esse nome, um pseudônimo, ou até mesmo um grupo de pessoas.

Mas por que esse Satoshi criou essa moeda, e especificamente nessa época?

– Logo após a crise, as pessoas estavam num estado de desconfiança no sistema bancário, que entrou em colapso e fez muita gente perder dinheiro. O Bitcoin foi lançado como uma alternativa pra esse sistema.

E como o Bitcoin serve de alternativa?

– Com o Bitcoin, ao invés de existir um banco pra guardar o seu dinheiro, você mesmo guarda o dinheiro na sua carteira digital. Dessa forma, você não precisa mais confiar em uma instituição que está sujeita ao que aconteceu em 2008, por exemplo. Não existe nenhum servidor, empresa ou governo por trás.

Então como são feitas as transações de Bitcoin?

– As transações são feitas direto de uma carteira pra outra, sem nenhum intermediário. Como se você estivesse entregando dinheiro espécie pra outra pessoa, só que digitalmente. Cada carteira digital possui um endereço público, usado pra receber bitcoins. Você acessa a sua carteira, diz pra qual endereço quer enviar quantos bitcoins, e envia. Assim que a transação for confirmada, os bitcoins aparecem na outra carteira. E pra receber, é só compartilhar o endereço da sua carteira.

E quem é que confirma as transações, se não tem intermediário?

– Esse é um dos conceitos-chave de como funciona o Bitcoin: as transações são validadas pelos nódulos conectados à rede do Bitcoin. Cada nódulo nada mais é do que um computador conectado à rede, que possui uma cópia do “livro contábil” (um registro completo de todas as transações de bitcoin da história) e fica constantemente processando operações criptográficas pra validar as transações que acontecem no mundo todo. Esses computadores que confirmam as transações são chamados “mineradores”, e eles recebem recompensas por fornecerem seu poder de processamento pra fazer esse trabalho. É tudo muito técnico, mas basicamente é um sistema que garante a legitimidade das transações através de um consenso distribuído.

Mas de onde vêm essas recompensas dos mineradores?

– As recompensas vêm de (1) as taxas embutidas em todas as transações, e (2) da distribuição programada de novas moedas.

Novas moedas? O dinheiro é criado do vento? E quem distribui?

– Na verdade todas as moedas já existem — os mineradores simplesmente ganham acesso a moedas que ninguém teve antes, assim como mineradores de ouro ganham acesso a ouro já existente na Terra. A quantidade total de bitcoins existentes é de 21 milhões e está previsto que teremos todos eles em circulação no ano 2.140. É o que eles chamam de “inflação programada”. Depois disso, os mineradores continuarão recebendo a recompensa das taxas de transação.

E se eu transfiro bitcoins pra uma pessoa do outro lado do mundo, como faço pra saber se ela recebeu?

– Todas as transações são públicas, e ficam registradas no livro contábil distribuído. Então você pode consultar o Blockchain.info e buscar pelo endereço da sua carteira, ou pelo ID da transação pra acompanhar as confirmações. Quando você vai fazer uma transferência, você pode estabelecer quanto quer pagar de taxa pros mineradores — quanto mais pagar de taxa, mais rápida vai ser essa confirmação da transação.

Mas esse sistema todo do Bitcoin, não é ilegal? 😬

– Não. Mas se você possui mais de R$1.000 em bitcoins, precisa declarar como “outros bens”, como se fosse obra de arte. E se você vender mais de R$35.000 em um mês e tiver lucro, precisa pagar 15% de imposto sobre o lucro.

Então como eu faço pra ter uma carteira pra guardar bitcoins?

– Existem várias formas, e se você quer começar, é mais seguro usar uma carteira no seu smartphone (smartphones costumam ser muito mais seguros do que computadores, especialmente PCs rodando Windows). Duas boas carteiras são a do Blockchain.info e Mycelium. Ambas são gratuitas e estão disponíveis para iOS e Android. Se você quiser levar isso a sério mesmo, sugiro comprar uma carteira física, como a Ledger Nano S. É o jeito mais seguro de guardar suas moedas.

Mas e se eu perder meu celular ou minha carteira física, consigo recuperar os meus bitcoins?

– Sim! Quando você cria uma carteira no Blockchain.info ou Mycelium por exemplo, você pode gerar uma frase de recuperação. Normalmente é uma lista de 12 palavras, que são usadas pra recuperar a sua carteira e os fundos. Ou seja, é muito importante que você anote essas palavras em um pedaço de papel e guarde em um lugar muito seguro.

Eu preciso mesmo anotar essas palavras num pedaço de papel? Que coisa mais arcaica!

– Sua carteira digital é o seu banco, então você precisa tomar todas as medidas de segurança possíveis. Você poderia anotar as palavras em um arquivo .txt e salvar no seu Dropbox por exemplo. Mas e se o seu Dropbox for hackeado, ou houver algum problema nos servidores que corrompe ou apaga os seus arquivos? Fazer isso significa que você ainda estaria confiando em uma entidade terceira pra cuidar dos seus segredos, e a ideia do Bitcoin é justamente ter um sistema em que você não precise confiar em ninguém. Anote em um papel e guarde muito bem. Se quiser, plastifique o papel pra que dure mais tempo ainda. Lembre-se: estamos encontrando pergaminhos egípcios até hoje — papel dura muito tempo!

Mas e esses ataques de hacker que a gente escuta o tempo todo, de gente roubando bitcoins?

– Na verdade nunca houve nenhuma fraude em transações de bitcoin. As transações passadas são imutáveis, e o consenso distribuído do Bitcoin evita problemas como o gasto duplo de moedas. O que pode acontecer é alguém conseguir acesso à sua carteira e transferir seus bitcoins — por isso você precisa cuidar muito bem da segurança da sua carteira.

Tá, mas então como eu faço pra obter Bitcoins?

– Basicamente três formas: (1) minerando, (2) comprando, e (3) aceitando como pagamento por serviços, doações, etc. Falamos sobre o que é mineração, mas hoje em dia é muito difícil minerar bitcoins — basicamente você precisa de equipamentos específicos, e costumam consumir muita energia elétrica. E a gente sabe como a energia no Brasil é cara né…

Pois é… Bom, já que é tão difícil minerar, como faço pra comprar?

– O jeito mais comum é usar plataformas de compra e venda (exchanges) pra comprar bitcoins por R$, e vice-versa. No Brasil, existem algumas: Foxbit, Mercado Bitcoin, BitcoinTrade, Braziliex … Você precisa criar uma conta na exchange, verificar sua conta (enviar fotos do seu documento de identidade e comprovante de residência) e depositar R$ pra poder comprar bitcoins. Aí é só criar uma ordem de compra de bitcoins. Assim que houver alguém vendendo bitcoins pelo valor em R$ que você pediu, a ordem é executada automaticamente e você recebe os bitcoins na sua carteira da exchange. Funciona igual uma bolsa de valores.

Então a exchange me dá uma carteira digital?

– Sim, mas é muito importante que você não deixe R$ ou bitcoins na sua carteira da exchange. Dinheiro guardado em exchange não é seu — é da exchange! Então faça as suas operações, e saque o que você for guardar. Todo dinheiro guardado em uma exchange está sujeito ao destino dela, ou seja, se a exchange for hackeada, ou de repente fechar as portas, você perdeu seus fundos e não tem com quem reclamar. Aconteceu com a Mt. Gox, a maior exchange de Bitcoin em 2014.

E quanto custa um bitcoin?

– O valor do bitcoin é determinado pelo próprio mercado, ou seja, ele pode valer x em um lugar e y em outro, dependendo da demanda de cada lugar. O valor que vemos na exchange é o valor da última venda que aconteceu ali. Se você entra no Foxbit, por exemplo, e vê o valor em R$40.000, é porque a última venda de bitcoin que aconteceu foi por esse valor.

QUARENTA MIL REAIS POR UM BITCOIN?!?

– Recentemente bateu 40k, mas pode variar muito, e por isso é considerado um investimento de altíssimo risco. E não se assuste com esse preço — você não precisa comprar um bitcoin inteiro. O bitcoin tem 8 casas decimais, então se você quiser comprar R$50 de bitcoin por R$40.000, daria 0,00125 BTC. A unidade mínima se chama satoshi, então esse valor equivale a 125.000 satoshis.

E hoje em dia, o que eu posso fazer com Bitcoin?

– Poucos lugares aceitam Bitcoin como forma de pagamento, e sinceramente ele ainda não é tão mais prático do que usar cartão de crédito pra fazer pagamentos. Agora, se você quiser enviar dinheiro pra um amigo ou parente que está em outro país, por exemplo, é mais prático fazer com Bitcoin. Transferências internacionais tradicionais podem demorar dias, e cobram taxas abusivas, enquanto uma transação em Bitcoin cobra uma taxa fixa mais baixa e é confirmada em minutos. Isso significa que instituições filantrópicas podem aproveitar dessas propriedades pra oferecer mais eficiência e transparência pra quem participa. Um exemplo é a Bitgive Foundation e seu programa GiveTrack, que usa a tecnologia do Bitcoin pra exibir em tempo real os fundos doados alcançando os projetos.


A melhor forma de aprender a lidar com essa tecnologia revolucionária é experimentando. Então se você quiser experimentar, crie uma conta em uma exchange, compre algumas frações de Bitcoin, transfira pra sua carteira, mostre pros seus amigos, presenteie-os com alguns satoshis… O futuro é incerto, mas a certeza é que tecnologias como Bitcoin vieram pra ficar.