O poder das crenças pessoais

Todos nós somos motivados por nossas crenças. Muitas vezes, nem somos conscientes disso. Estas crenças são como um óculos: permeiam a nossa visão do mundo e a interpretação das coisas que acontecem conosco.

Se você crer que pode alcançar seus objetivos, terá muitas chances de alcançá-lo. Se manter a crença apesar das dificuldades e negativas que a vida nos dá, terá mais chances ainda. Por outro lado, se crer que não irá conseguir, todos os comportamentos decorrentes dessa crença certamente irão te levar ao fracasso.

Assim, por causa da importância que têm, qualquer mudança comportamental precisa passar pelas crenças pessoais. Se você quer alcançar a excelência, precisa adotar crenças pessoais que te leve até ela.

Para conseguir alterar suas crenças e adotar aquelas que te serão mais favoráveis, é preciso entender de onde elas vêm. O escritor e palestrante Anthony Robbins entende que existem pelo menos 5 fontes:

  1. meio ambiente: se você foi criado num ambiente de riqueza e sucesso, provavelmente terá crenças compatíveis com eles. Se for criado num ambiente de pobreza e miséria, provavelmente suas crenças pessoais terão a ver com isso também;
  2. eventos: acontecimentos, pequenos ou grandes, que marcam a nossa vida também modelam as nossas crenças pessoais;
  3. conhecimento: aquilo que obtemos de livros, filmes, pessoas e ao observar o mundo ajudam a moldar nossas crenças. Buscar conhecimento é uma excelente forma de adotar novas crenças mais favoráveis;
  4. resultados do passado: uma ótima forma de adotar uma nova crença é fazer aquilo que você quer alcançar pelo menos uma vez. Se conseguiu êxito uma vez, ficará muito mais fácil de conseguir novamente;
  5. criar na sua mente uma visão do futuro, como se ela estivesse ocorrendo agora: trata-se uma fonte muito poderosa de novas crenças e que poucas pessoas utilizam. Quanto mais claro você conseguir enxergar aquilo que quer alcançar, mais fácil será de consegui-lo.

Como o quinto item acima é o que está mais perto do seu controle, eu sugiro que você dedique pelo menos 10 minutos do seu dia visualizando o seu objetivo. Lembre de tornar esta visualização o mais sensorial possível e responder às seguintes perguntas: o que você vê, o que você ouve, o que você sente.