SIMPLESMENTE RECORDAÇÕES

Jp Santsil
Dec 14, 2019 · 1 min read

Meu Amor
Lembro-me da primeira vez em que te vi
Colhendo flores no jardim
Cantavas uma melodia muito triste
Revelando melancolias e saudades
Como as endechas de um canário solitário

Tua voz era tão terna e suave
Que se confundia com os cantos dos pardais
E ecoava pelo espaço num leve suspiro de vibração
Envolvendo-me numa onda de indefinível encanto e alegria

Até o dia tornou-se mais claro!

Minha velha
Lembro-me que eras tão bela, tão meiga e tão sincera
Que para homenageá-la o mar deu suas pérolas
A terra o seu ouro, os jardins suas flores e os homens seus amores
Para adorná-la, para vesti-la e para fazê-la mais preciosa

Agora meu Talismã
Que nos encontramos no crepúsculo da vida
Tudo que quero é acariciar teus cabelos brancos
E lembrá-la que mesmo na velhice continuas tão bela
E que sempre serás, meu eterno e grande Amor

Written by

Onde me manifesto… sou como o entardecer, onde o vento passa ao silêncio da morte e as árvores vibram ao ver passar. Se não me manifesto… no nada tudo serei.

More From Medium

Welcome to a place where words matter. On Medium, smart voices and original ideas take center stage - with no ads in sight. Watch
Follow all the topics you care about, and we’ll deliver the best stories for you to your homepage and inbox. Explore
Get unlimited access to the best stories on Medium — and support writers while you’re at it. Just $5/month. Upgrade