Obra de Oleg Shuplyak

Obstáculos Pofissionais

…uma questão de limite, percepção e contextos.

Quando um artista começa a criar a sua arte, antes mesmo de ela ganhar forma, ele já a imagina pronta. Mas ao procurar ferramentas ideais para concretizá-la, se depara como os limites do seu contexto de trabalho e a sua principal rival: A SUA PERCEPÇÃO PESSOAS.

Aflito, pois precisa se expressar ao mundo, se fixa na ideia de ser um fracassado e começa a questionar se realmente é capaz de criar tudo aquilo. Mas depois de um tempo, percebe que essa ideia fixa que o aflige nada mais é do que um medo, uma lacuna que existe dentro dele, entre a sua obra e a sua visão. Depois que compreende isso, ele começa a ver que o limite ou falta de percepção nada mais é do que a porta para melhorar a sua performance como artista.

Artistas também fracassam e se depara com limites. Mas todo o fracasso ou limite vira parte da sua obra mesmo que ele não se de conta dela a primeira vista.

Limites e “fracassos” são apenas meios que reajustam a nossa percepção. Viver sobre lacunas é para poucos profissionais. É para artistas. Estar sob um estado emocional de se sentir um fracasso em determinados momentos é normal. Mas permanecer nele é fatal.