‘’Amar é para loucos!’’

É realmente um ato de loucura amar alguém. Entregarmo-nos totalmente a alguém, colocarmos a nossa vida em outras mãos. Termos uma outra vida para cuidar para além da nossa. Quando amamos, deixamos de ser um ‘’eu’’, passamos a ser um “nós”. Amar, implica aceitarmos alguém vindo de outro mundo. Alguém que pensa de maneira diferente, que age de maneira diferente, que vive de maneira diferente. Amar, é muito mais do que aceitar o outro. É ter confiança, é ter respeito, é ter carinho, é saber como conseguir fazer a pessoa que está ao nosso lado apaixonar-se todos os dias por nós. É saber quando devemos deixar ir ou quando devemos prender. Amar implica muitos sacrifícios. Não é apenas um sentimento físico, uma atração física. Nada disso, é uma conexão mental que se estabelece entre duas pessoas. É mais que querer estar junto, é nunca querer sequer estar longe. Não é gostar de olhar para alguém, é gostar daquilo que o olhar nos diz, mesmo quando a boca não diz nada. É sentir o dobro da alegria, o dobro da tristeza. Amar não é prender alguém a nós como se fosse somente nosso. É deixar a possibilidade de ida, e o outro não considerar isso sequer possibilidade. Amar é sentir que somos especiais na vida de alguém. É querer largar e não conseguir. Amar é o maior ato de loucura a que o Homem pode sujeitar-se.

by: jéssica ribas

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.