A infraestrutura financeira é conivente com abusos e corrupção. Como o Bitcoin pode mudar isso?

Mônica Bergamo: Justiça ordena bloqueio de R% 500 milhões e só encontra R$ 200 mil na conta da Odebrecht.

Eu vejo essas notícias e penso, tá, é óbvio que isso ia acontecer. Você tá preso numa investigação de corrupção, vc vai deixar seu dinheiro na conta que a justiça tem acesso? Não, você vai mandar ele pra puta que pariu de qualquer jeito e se virar para regularizar ele posteriormente, enquanto isso você ainda tem seu meio bilhãozinho.

Na minha opinião é ingênuo achar que esse dinheiro vai ficar acessível pela justiça brasileira em um cenário de interligação bancária, em que paraísos fiscais podem receber e enviar transferências para qualquer outro país. É um buraco negro: se o Brasil impede transações com os paraísos fiscais, é só mandar essa grana por outro país e pronto.

Todo mundo está cansado de saber que a infraestrutura bancária atual está pouco se lixando para a regularidade do dinheiro guardado nela. Por mais que existam regras internacionais contra lavagem de dinheiro, para o grande capital, essas regras são aplicadas retroativamente, só quando ocorre uma investigação, se muito.

As maracutaias contábeis para se fazer sumir 500 milhões de reais são inúmeras. Abre-se dez empresas de fachada ao redor do mundo, envia-se 50 milhões para cada uma, contrata-se laranjas para assinar documentos. Foda-se.

E quando questionarem os diretores dessas empresas sobre onde está o dinheiro, qualquer argumento vai valer. Está sendo investido em outras partes do mundo; foi usado para amortização de dívida; foi usado para pagar bônus do fulaninho; compramos um país só para sumir com ele; tanto faz, o Brasil não tem jurisdição no mundo inteiro e se tiver acordo, vai levar 30 anos pra reaver essa grana.

Daí eu penso um pouco no que eu estava estudando, Bitcoin, Blockchain, etc. Enquanto a gente usar um sistema bancário que esconde as transações, saldos, identidades e é zero transparente, a gente vai estar submetido a manipulações e ponto. Não vai rolar transparência, vai rolar fraude, lavagem, corrupção.

(Para quem não sabe, no bitcoin, é possível rastrear todas as moedas gastas, saldos e carteiras. No entanto, não é possível atribuir diretamente um identidade a cada carteira, a menos que essa identidade seja revelada pelo dono da carteira. Veja a carteira da Foxbit por exemplo: https://blockchain.info/…/1FoxBitjXcBeZUS4eDzPZ7b124q3N7QJK7)

Eu acho que o fato do Governo Brasileiro usar uma moeda não-transparente por meio de instituições bancárias bagunçadas e cujos bancos de dados podem ser fraudados a qualquer momento, é um tipo de conivência com a corrupção. Continuar usando esse mecanismo para armazenamento de valor é continuar permitindo abusos pelos super-ricos que dispõe de capacidade financeira pra movimentar livremente seus recursos ao redor do mundo.

É ineficiente, na minha opinião, acreditar que a justiça vai garantir a soberania nacional sobre esse dinheiro. O Swift(https://www.swift.com) é muito mais rápido que o processo, a burocracia e a contabilidade é muito complicada para ser analisada por humanos. Milhões de horas serão gastas tentando desvendar para onde diabos foi essa grana quando o problema na verdade está na infraestrutura financeira como um todo.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.