O último texto

Era para ser a última vez que escrevo sobre você.
Era pra acabar com o poço de palavras guardadas
só para compor o que fomos.
Deveria ter esgotado a fonte de criatividade, 
as tamanhas inspirações que olhar para dentro me traz. 
Atrás. 
Se eu falei que essa era a última coisa que eu escreveria para você, 
eu menti — 
ainda tem muito escondido. 
Já prometi mil vezes que a última vez seria a última, 
mas eu nunca me respeito. 
Não sei se sobrou espaço para outra coisa além de 
falar de você, 
discutir 
e dissertar você.
Não sei se sobrei ou deixei de existir. 
Não tem último porque sempre volta…
E eu volto junto. 
Mas prometo que dessa vez será a última. 
Confia em mim... 
[Até semana que vem].